De acordo com o último relatório divulgado pela IDC Brasil, entre os meses de abril e junho de 2018, foram comercializados 1.415 milhão de computadores no mercado brasileiro, um aumento de 14% em relação ao mesmo trimestre de 2017, e 5.5% a mais que no primeiro trimestre de 2018.

No segundo trimestre de 2018, os PCs movimentaram R$ 3.568 bilhões, 27.5% a mais que no segundo trimestre de 2017 e 19% a mais do que nos três primeiros meses de 2018.

O crescimento aconteceu basicamente pelos movimentos do governo e do mercado educacional, onde as compras em ano de eleições se intensificam para garantir a atualização do parque em caso de mudanças ou futuros congelamentos nos investimentos.

No varejo, foram 887 mil máquinas vendidas, 5.3% a mais do que no mesmo período de 2017, e 3.7% maior em relação ao primeiro trimestre de 2018.

O valor médio do produto também aumentou. No período, os desktops custaram cerca de R$ 2.190, 11% a mais em relação ao mesmo período do ano passado, e 10% a mais do que no primeiro trimestre desse ano. Já os notebooks custaram, em média, R$ 3.243, 6.5% a menos que no mesmo período do ano passado e 13% a mais do que no primeiro trimestre de 2018. O motivo principal dessa variação foi o aumento do dólar.

As vendas de desktops continuam caindo. Quase 70% das unidades vendidas foram de notebooks (977.5 mil), reforçando o movimento mundial, mas mostrando estabilização nessas quedas.

Para o terceiro trimestre de 2018, a IDC Brasil prevê um pequeno aumento nas vendas de PCs ainda por conta das compras maiores em anos eleitorais. O dólar vai seguir impactando no mercado corporativo, mas o setor ainda pode presenciar um crescimento de 6.3% em relação ao mesmo período de 2017.

Já o mercado B2C deve ver uma retração de 5%, em um trimestre marcado pela pausa nas compras, onde o consumidor doméstico espera as promoções da Black Friday e Natal. Algo também já esperado pelos analistas e pelo mercado como um todo.