A nova moda é a geração Millennium se refugiar nas contas flop do Instagram para se comunicar, transmitindo informações e notícias de forma mais isenta.

Cada geração tem o seu refúgio na internet. Os mais velhos na web citam o GeoCities, o MySpace e o hi5. Hoje, velhos estão no Facebook, e os mais novos se dividem em Snapchat, WhatsApp e Instagram.

No caso das contas flop do Instagram, elas são usadas por alguns jovens que querem compartilhar notícias flopadas de veículos tradicionais, e rapidamente se tornaram locais para a discussão livre, sem tabus ou preconceitos de opiniões.

Isso acontece pela falta de confiança nos canais oficiais, que são cada vez mais vistos como ferramentas que promovem os seus próprios interesses, combatendo visões contrárias.

Nos flops, espera-se que a discussão seja mais saudável e verdadeira, promovendo o livre pensamento e conclusões individuais de forma isenta.

Podemos considerar como um movimento semelhante aos cafés da vida real, que era o ponto de encontro de grupos de amigos, com o mesmo tipo de discussão, mas em um formato ‘analógico’, ou frente a frente.

Mas esperamos que os jovens nos flops entendam que nem sempre tudo é tão equilibrado, onde nem sempre quem é eloquente e argumentativo diz a verdade. Pelo contrário: tem muitos profissionais de fake news peritos em ter contra-argumentos para qualquer tema lançado.

Logo, é fundamental que apostemos na educação. E não aquela ensinada nas escolas, mas aquela que deveria ser ensinada em casa. Hoje, muitos jovens podem ser facilmente influenciáveis e eventualmente recrutados para linhas de pensamento muito preocupantes.