Os assistentes virtuais seguem em constante evolução. O Google Assistente é o que mais se destaca, superando o Alexa e o Cortana na popularidade e funcionalidades. Uma prova desse domínio é a chegada de novos recursos, como a funcionalidade de alternância automática de idiomas.

Porém, esse novo recurso acabou se tornando um fardo pesado demais para a consciência do assistente. De acordo com vários relatos de usuários, tudo indica que o Google Assistente começou a apresentar sinais de esquizofrenia.

Em várias oportunidades, o assistente alterou de forma automática o seu idioma, sotaque e gênero, automaticamente. Por exemplo, o Google Assistente era configurado para usar a voz feminina com sotaque britânico, mas do nada começava a responder com voz masculina e sotaque norte-americano.

Além disso, o Google Assistente está apresentando grandes dificuldades para responder à sua frase de ativação, “OK, Google”.

A Google já está ciente da situação, reconheceu oficialmente os problemas e garantiu que já está investigando em busca de uma solução.

 

 

Coincidência ou não, todos os problemas apareceram logo depois da implementação do recurso bilíngue no assistente. A função está disponível nos idiomas inglês, francês, alemão, espanhol, italiano e japonês. Para funcionar, basta escolher os dois idiomas que vão funcionar na interação no ato da instalação do assistente.

Muito provavelmente tal recurso é tão complexo, que se tornou algo pesado demais para o Google Assistente. Vamos esperar que a Google revele as possíveis causas desse problema, e que uma correção esteja disponível nos próximos dias.

Como você pode constatar, o problema não afeta ao Google Assistente no Brasil, uma vez que a interação com o nosso idioma não está disponível. Mas dá para imaginar como isso pode afetar aos usuários internacionais, especialmente aos proprietários do Google Home.

Dá para imaginar (por exemplo) o usuário configurando o assistente para ouvir a voz do Barack Obama para a interação, mas de repente receber a ajuda do Homer Simpson.

É de enlouquecer qualquer pessoa.

 

Via TechRadar