O aeroporto internacional de Dallas (EUA) foi o primeiro a receber um sistema de reconhecimento facial para check-ins de embarque, abrindo mão de passagens e tickets com identificação por documentos. É uma tendência de futuro que só agora começa a chegar ao mercado.

 

 

Embarque na metade do tempo

 

As fotos que alimentam o sistema são fornecidas por duas fontes oficiais. A primeira delas, para os cidadãos norte-americanos, são as fotos dos passaportes. A segunda, para os estrangeiros, são as fotos obtidas no controle de aduana para verificação de nossa identidade para entrar nos EUA.

As fotos permanecem no sistema por 14 dias nesse período de testes, e ficam salvas 12 horas depois da verificação. No futuro, sistema vai descartar as imagens tão logo o passageiro é reconhecido pelo sistema.

 

 

O sistema veriScan foi desenvolvido para ser uma alternativa de futuro, e o escaneamento do nosso rosto acontece em uma fração de segundo, com uma precisão de 99%.

Com isso, teremos um procedimento de embarque realizado em aproximadamente a metade do tempo que hoje levam os processos tradicionais. E o fim da constrangedora cena de ver uma mãe segurando o cartão de embarque, a bagagem de mão e os dois filhos. Tudo ao mesmo tempo.

O primeiro voo com esse sistema já aconteceu, e companhias como Scandinavian Airlines, United Airlines e Air France / KLM já começaram a usar o sistema. O software também é orientado a detectar pessoas que estão com passaporte falso, algo que já aconteceu em testes preliminares.

 

 

 

Via NextGov