Se fizeram um Mortal Kombat II para o NES, por que não um Donkey Kong Country? Pois bem, o mesmo Hummer Team fez o port do jogo, e nos entregou Donkey Kong Country 4, que pegou muitos dos elementos do jogo original, e entregou em um hardware inferior.

Apesar das diferenças gráficas e de som serem evidentes, a conversão até que está boa. As fases são bem similares, e as animações de personagens e outros elementos gráficos se baseiam no material original, reduzindo em cores (e no tamanho) por conta dos ínfimos 2 KB de memória do console.

Outras coisas foram modificadas ou eliminadas. Apenas um dos Kong aparecem sempre na tela, mas há dois disponíveis, que podem ser trocados através de um botão. Entre os níveis, não há mapa do mundo e, ao terminar uma fase, começa a próxima, sem pausas. E os companheiros animais tão úteis em Donkey Kong Country desapareceram nesse jogo.

 

 

Alguns níveis são quase iguais ao original, enquanto que outros foram muito modificados na extensão e distribuição de inimigos e estruturas. As melodias de David Wise seguem sendo reconhecíveis, mas com uma qualidade muito inferior e mais MIDI.

O jogo se parece muito em termos visuais com a versão do Game Boy, ou Donkey Kong Land, criada pela Rareware e com distribuição oficial.

O Donkey Kong Country para NES foi lançado em 1997, três anos depois do jogo para Super Nintendo. O NES ainda era popular aqui no Brasil naquela época, e algumas pessoas podem ter se deparado com esse jogo e se surpreendido com a decente qualidade da conversão.