A Google sabe que você comprou alguma coisa na internet por causa de seus anúncios. E também sabe quando você comprou em loja física em função de um de seus anúncios online.

A Bloomberg expôs um contrato secreto entre Google e Mastercard, que permite o acesso aos registros de transações offline de pelos 2 bilhões de clientes da bandeira de cartão de crédito.

Embora a existência do contrato em si não seja algo particularmente surpreendente, o fato das duas empresas manterem o acordo em segredo é um pouco preocupante.

Segundo os envolvidos diretos no negócio, o contrato entre as duas empresas foi negociado por quatro anos, e sem revelar valores, a Mastercard pagou para a Google milhões de dólares pelos dados dos clientes. As duas empresas também discutiram partilhas de receita de publicidade relacionada com os dados, embora a Google tenha negado tal negociação.

A Google chegou a falar sobre a ferramenta de publicidade relacionada com o contrato, mas não falou sobre a parceria com a Mastercard. Alega não ter acesso aos dados pessoais dos cartões de crédito e débito, e que não compartilha informações pessoais com os nossos parceiros.

Na prática, o comprador vê o anúncio online, mas não compra na hora. Tempo depois de clicar no anúncio, o usuário compra aquele produto com o seu cartão Mastercard. Então, o anunciante recebe um relatório que mostra que um clique em um anúncio levou a uma venda em uma loja física. Anunciante e Google não tem informações sobre quem fez a compra, o quanto foi gasto ou quando é que a pessoa fez a compra.

A Google enfatizou que os usuários podem desativar o monitoramento de anúncios a qualquer momento, mas ninguém sabe disso. A Mastercard se recusou a comentar a parceria, mas observa que a empresa costuma compartilhar o histórico de transações com comerciantes e fornecedores de serviços.