youtuber preso pokemons igreja

Um usuário do YouTube russo foi preso por capturar um Poliwag em uma igreja e publicar um vídeo na internet sobre como ele fez isso.

O vídeo de Ruslan Sokolovsky foi visto mais de um milhão de vezes desde a sua publicação em 11 de agosto, e a gravação começa mostrando nosso protagonista advertindo sobre os perigos de jogar Pokémon Go dentro de uma igreja.

 

Prática de caça ao pokémon em igreja não é proibida por lei…

Depois da publicação do vídeo no YouTube, a polícia começou a investigar Sokolovsky, que tinha mais de 300 mil assinantes no seu canal e um curioso histórico de críticas contra a igreja russa.

O comitê de investigação afirmou em comunicado que o jovem de 21 anos foi acusado de “incitar o ódio e ofender entidades religiosas”, condenando o rapaz a dois meses de detenção, que podem se transformar em até cinco anos. Uma pena semelhante à sofrida pela banda punk Pussy Riot em 2012, que curiosamente se uniu ao movimento social em defesa de Sokolovsky, junto à hashtag #FreeSokolovsky.

Por outro lado, ativistas e fãs planejam ir até a catedral de Kazan de San Petesburgo para protestar. Como? Caçando pokémons no Pokémon Go.

Problemas relacionados com o Pokémon Go existem, mas nada parece ter alcançado o nível apresentado na Rússia. O mais curioso disso tudo é que a Niantic não lançou o jogo no país, e tudo isso parece não incomodar os criadores do jogo. A pior parte é que o governo russo acredita que o game pode estar vinculado aos serviços de inteligência estrangeiros.

O chefe do comitê de assuntos religiosos do governo russo Jaroslav Nilov não considera o uso de smartphones dentro da igreja algo ofensivo. Porém, um representante da igreja ortodoxa russa afirmou que Sokolovsky é um blogger conhecido, que trabalho no estilo Charlie Hebdo.

Por enquanto, a sentença é de dois meses, mas já apresentaram um recurso contra a decisão.

 

 

Via The Guardian, Associated Press