Redmi 3 Pro

A Xiaomi anunciou oficialmente o Xiaomi Redmi 3 Pro, modelo de linha média que foi reformulado para receber características avançadas, como um hardware com maior desempenho e um leitor de digitais.

Bem sabemos que nem todos tem condições financeiras de pagar os valores cobrados pelos modelos top de linha. Por isso, os grandes fabricantes investem nas linhas inferiores, com preços mais acessíveis. E, e muitos casos, temos smartphones excelentes com preços muito competitivos. A Xiaomi é uma das que melhor conseguem trabalhar com essa relação custo-beneficio, e o Xiaomi Redmi 3 Pro é um ótimo exemplo disso, apesar de trazer poucas, porém, interessantes novidades em relação ao Xiaomi Redmi 3.

O novo smartphone traz duas importantes mudanças em relação ao modelo mais simples: a presença de um sensor de digitais e uma memória maior, com 32 GB de armazenamento e 3 GB de RAM, expansíveis via slot para microSD de até 128 GB (contra 16 GB e 2 GB do Redmi 3). Essas duas características e o preço são as únicas diferenças relevantes entre os dois modelos.

Com isso, voltamos a nos deparar com um smartphone que carrega um processador Qualcomm Snapdragon 616 quad-core de 1.5 GHz e outros quatro núcleos a 1.2 GHz, com GPU Adreno 405, câmeras de 13 MP e 5 MP com gravação a 1080p/30 fps e uma poderosa bateria de 4.100 mAh. Sua tela é uma IPS LCD de 5 polegadas (720p, 294 ppp) e o sistema operacional que gerencia o seu conjunto de hardware é o Android 5.1 Lollipop.

Apesar de todas as melhorias adicionadas no novo modelo, o preço do Xiaomi Redmi 3 Pro não vai disparar. Suas vendas começam no dia 4 de abril, e o dispositivo custa 124 euros (já convertidos), ou seja, apenas 28 euros a mais do que o Redmi 3. As cores disponíveis voltam a ser preto, cinza e dourado.

Agora, só resta saber quando esse ótimo smartphone vai chegar ao Brasil.