xiaomi-grafica

Depois de vários anúncios de recordes de vendas em pouco tempo, já era de se esperar que algum resultado prático aparecesse. A Xiaomi não só pode dizer que alguns dos seus smartphones se venderam em questão de horas após o seu lançamento, mas pode dizer também que é a terceira força no atraente mercado da China.

A agência Counterpoint, que analisa os diferentes mercados tecnológicos, posiciona a Xiaomi como a terceira maior fabricante de smartphones da China, com 11% da cota de mercado. Ela só é superada pela Lenovo (12%) e Samsung (18%). Um dos principais motivos para o seu crescimento foi a venda de seus smartphones durante os meses de janeiro e fevereiro de 2014.

Superando Apple, Coolpad, HTC e Oppo

Vendo os dados do mercado da China, notamos que a divisão é bem maior do que o cenário global do mercado de smartphones, onde o domínio da Samsung é algo explícito. E o próximo passo da Xiaomi, todos sabem qual é: a dita expansão global que tanto esperamos.

A empresa começou essa expansão pelos países vizinhos, como Cingapura. A mudança de marca e domínio (agora a empresa se chama Mi.com), e a contratação de Hugo Barra para comandar essa migração são medidas claras para explorar outros países, com os seus smartphones e outros produtos sendo lançados nos demais mercados aos poucos.

Um dos principais motivos para explicar as limitações da Xiaomi para uma expansão global era a sua capacidade de produção. Talvez nesse momento ela ainda é pequena para vários mercados, mas se eles são capazes de chegar a 11% do mercado chinês (que não é algo que se pode chamar de pequeno), não parece que esse é o principal problema.

Veremos se com o avançar do ano a Xiaomi se anima em lançar os seus produtos no mercado ocidental. Afinal de contas, está ficando difícil importar produtos de tecnologia por conta dos impostos (valeu, Dilma! #SQN).

Via Counterpoint