xbox-one-microsoft

Se você pensa em rodar a sua vasta coleção de jogos do Xbox 360 no seu futuro Xbox One, pode tirar o cavalinho da chuva. O novo console/central de entretenimento doméstico anunciado hoje (21) pela Microsoft não conta com a função de retrocompatibilidade, deixando você e milhões de jogadores na mão. Literalmente.

Quem informou a má notícia foi o vice-presidente do segmento da Xbox Live, Marc Whitten. Questionado pelo pessoal do site The Verge sobre o assunto, Marc foi direto na resposta: “Não, não terá. O sistema (do novo Xbox One) é baseado em uma arquitetura de hardware diferente, logo, uma retrocompatibilidade realmente não funcionaria a partir dessa perspectiva”. 

Se observarmos a tabela de especificações técnicas do Xbox One, a notícia não chega a ser uma surpresa. A Microsoft confirmou no evento aquilo que já vinha sendo especulado por meses entre os sites especializados, que é a presença de uma CPU com arquitetura x86 no novo console. Os jogos desenvolvidos para o Xbox 360 foram pensados para processadores da linha Xenon, e simplesmente não rodariam de forma nativa no novo hardware do Xbox One.

Vale lembrar que o PlayStation 4 conta com o mesmo problema: a Sony também trocar o PowerPC pelo X86 e, com isso, o novo console não vai rodar os jogos do PS3.

A diferença está no fato da Sony prometer que os usuários do Ps4 poderão jogar os jogos do PS3 de alguma forma, através de streaming dos jogos na nuvem. A Microsoft não promete nenhuma solução para o Xbox One. Questionado se a empresa de Redmond ofereceria algum tipo de serviço de jogos na nuvem, ou download dos atuais jogos do Xbox 360, Whitten confirmou que a Microsoft ainda não está trabalhando nessas questões.

Entretanto, Whitten também confirma que a Microsoft pretende manter o Xbox 360 por mais algum tempo no mercado, o que indica que a ausência da retrocompatibilidade deve ser algo bom para a empresa. Bom, na perspectiva comercial deles, ter dois consoles fortes (sendo um deles ainda relativamente bem vendido no mercado) pode ser uma forma interessante de obter ainda mais lucros com vendas de jogos e consoles.

Via The Verge