A Microsoft anunciou na E3 2018 que, a partir de agora, será possível jogar as grandes franquias no Xbox Game Pass desde o ato do seu lançamento, potencializando a oferta de jogos na plataforma.

A Microsoft quer mesmo que o Xbox Game Pass seja a Netflix dos videogames, ou ao menos do Xbox One. O catálogo agora recebe os jogos mais atuais para o console, onde os assinantes poderão acessar títulos que não estavam disponíveis no serviço, como Fallout 4, The Division ou Elder Scrolls Online, além de futuros lançamentos como Forza Horizon 4, Sea of Thieves, Halo Infinite, Gear 5, Warhammer: Vermintide 2, Afterparty e Crackdown 3.

Agora, são 199 jogos do catálogo Xbox One dentro desse serviço, e vários jogos retrocompatíveis do Xbox 360 e do Xbox original. Serão “pelo menos” cinco novos jogos ao serviço no começo de cada mês.

Some tudo isso ao suporte de todas as opções de jogos convencionais do Xbox One aos jogos antigos retrocompatíveis: salvar jogos na nuvem, gravar clipes de jogos com o Game DVR ou realizar streaming de jogos em PCs e portáteis com Windows 10. Também podemos comprar esses jogos com 20% de desconto.

Isso tudo só é possível depois que a Microsoft adquiriu vários estúdios de desenvolvimento, ampliando o seu catálogo de jogos exclusivos, tais como Compusion Games, Undead Labs, Playground Games, Ninja Theory e The Initiative.

Se você gosta de tudo quanto é tipo de jogo e variar de jogo em jogo, é óbvio que o Xbox Game Pass é feito para você. Comprar todos os jogos custaria muito mais do que o valor da assinatura anual.

Aqui, você faz o download dos jogos para o disco rígido para jogar a qualquer momento, inclusive sem conexão e sem assinatura da Xbox Live Gold. Mas em muitos jogos a assinatura adiciona muitos elementos aos jogos.

No futuro, com a chegada do FastStart, será possível jogar os games da Xbox Game Pass o quanto antes, usando técnicas de machine learning onde em determinados títulos será possível iniciar o jogo minutos depois que o download começou.