Testes realizados pelo especialista em segurança Matthew Hickey mostram que o Windows 10 S não é tão seguro como dizia a Microsoft.

A Microsoft afirmava que a suposta imunidade do sistema operacional contra o ransomware se justificava pela própria limitação da versão, e na estrutura do tipo sandobox que o sistema possui.

Porém, os testes mostram o contrário. O Windows 10 S não só não é imune ao ransomware como é muito fácil infectar o sistema e obter os privilégios necessários.

Para superar as ilimitações impostas pelo Windows 10 S, basta criar um macro personalizado no Word, infectando o sistema por um ataque via DLL, podendo assim controlar por completo o equipamento.

No total, o processo levou umas três horas para ser concluído, e sem precisar recorrer a técnicas desconhecidas pela comunidade de especialista em segurança de informática. Ou seja, qualquer profissional pode fazer o mesmo que o especialista fez, sem maiores problemas.

O único detalhe a ser levado em consideração é que este arquivo Word malicioso não pode ser baixado da internet. Para simular a infecção, Hickey teve que baixá-lo através de uma rede interna, o que reduz a possibilidades de infecção.

De qualquer forma, de forma efetiva, o Windows 10 S não é imune ao ransomware, mesmo com a versão trabalhando em sandbox, o que sem sombra de dúvida melhora a segurança do software.

Mas não é algo infalível. Que fique bem claro.

 

Dica: Notebook ASUS X751LJ-TY171T Intel Core i5 8GB GeForce 920M de 2GB) 1TB LED 17,3” Windows 10, por R$ 3.628.

 

Via ZDNet