Windows 10 Mobile

O lançamento do Windows 10 Mobile foi cercado de polêmicas desde o começo. A promessa não cumprida em atualizar os dispositivos antigos e pouco potentes queimou o filme da Microsoft, algo que parece que ela não deu a mínima.

Ali, a Microsoft já havia decidido mudar a sua estratégia no setor de smartphones. Mas ninguém esperava uma mudança tão radical.

A empresa abandonou completamente a fabricação de novos smartphones, e apenas 13 modelos contam hoje com suporte ao Windows 10 Mobile. Não são poucos que afirmam que o sistema operacional está morto e enterrado. Eu, inclusive.

É óbvio que todo sistema operacional morre de uma forma ou de outra. Seja por uma nova versão ou pelo fim do período de suporte. É só ver o que acontece com o iOS e Android, apesar do segundo ser um exemplo claro de obsolescência programada.

Logo, o Windows 10 Mobile não terá suporte indefinido, e em algum momento ele vai morrer. Mas isso não quer dizer que tenha que passar pelo abandono completo como fez a Microsoft.

A maioria das notícias que vimos até agora sugerem que a Microsoft vai apostar no mercado profissional. Esse movimento tem como pilares centrais a emulação x86 nos SoCs ARM e o lançamento de um Surface Phone.

Quem vai ser penalizado é o usuário, que fica órfão. Por outro lado, a Microsoft pode liberar todo o potencial do ecossistema Windows nos dispositivos mais baratos e compactos, permitindo uma nova aproximação no mercado de consumo geral.

Porém, não sei se o usuário vai acreditar na Microsoft novamente.