A GVT é mais uma das operadoras que vão apostar na expansão de suas redes públicas de Wi-Fi, adotando a estratégia de home gateways, para que os próprios usuários sejam os “pontos” de acesso à internet pública de sua rede. O objetivo principal da operadora é complementar a sua rede de banda larga.

Através do home gateway, a operadora pretende criar redes de acesso à internet livre para os seus usuários, com modems que serão instalados nas residências dos assinantes de TV por assinatura da GVT. Esses modems permitem a criação de até três redes Wi-Fi paralelas, para que o acesso público seja viável, e sem interferir no acesso residencial do assinante.

Quando você assina um serviço de internet com direito ao modem para acesso Wi-Fi, o usuário tem a criação de apenas uma única rede, que é privativa, para que apenas os dispositivos da residência possam acessar a rede. A ideia da GVT é que esse modem para acesso público ative duas ou até três conexões, que serão ativados mediante autorização prévia do proprietário do equipamento. A ativação poderá ser feita de modo remoto pela operadora, e não vai consumir a banda de dados do usuário, uma vez que uma banda específica será liberada para a criação da rede compartilhada.

Desse modo, o usuário não possui (na teoria) nenhum tipo de prejuízo na taxa de velocidade do serviço, uma vez que a sua conexão privada permanecerá a mesma. E com esse método, a GVT reduz os custos de implantação de pontos públicos de internet, pois vai oferecer aos usuários da operadora o seu acesso à internet com uma mão de obra e custos de implantação do sistema muito menores.

O projeto ainda está em desenvolvimento. Valores e datas do início da implantação das novas redes não foram informados.

Via