A Reuters revela que o WhatsApp já é a terceira maior fonte de notícias global. E isso acontece por conta dos novos hábitos das pessoas consumirem notícias pelos meios digitais.

É claro que 1.2 bilhão de usuários fazem uma boa diferença. Porém, o WhatsApp briga com ninguém menos que o Facebook, que está na primeira posição de forma absoluta como principal fonte de notícias, indo então muito além do seu objetivo original, que é ser uma rede social.

 

 

Na segunda posição, bem atrás, fica o YouTube, o que não deixa de ser importante, já que mostra que o peso dos vídeos é mais que evidente no consumo de informação.

Ao que parece, os usuários do WhatsApp são muito propensos a compartilhar notícias, e algumas empresas já testaram ferramentas para utilizar o serviço como fonte de comunicação corporativa.

 

 

O grande problema dessas vias de notícias está na confiabilidade delas. O fake news, que por anos é uma sombra nas redes sociais como ferramentas de informação.

Por outro lado, também existe a tendência de compartilhar notícias apenas para parentes, contatos próximos ou de confiança. E aqui, a privacidade tem um papel importante.

Não é surpresa ver o Brasil como o segundo país no mundo que mais compartilha notícias no WhatsApp. A facilidade do software nessa disseminação da informação é o que explica essa popularidade em nosso país.

Os resultados do estudo mostram como as coisas mudam com o tempo, e em como os propósitos de uma ferramenta mudam com o passar do tempo. O Facebook é uma clara prova disso, e parece que com o WhatsApp está acontecendo o mesmo.

Lembrando: as duas empresas pertencem à Mark Zuckerberg, que está virando o novo rei das notícias.

 

Dica: Moto G5, por R$ 835 no boleto.

 

Via  BBC