whatsapp-logo

Jan Koum, co-criador do WhatsApp, anunciou em um evento em Munique (Alemanha) que a empresa deixará de cobrar o US$ 1 anual de assinatura do serviço, passando a ser 100% gratuito.

A cobrança começou a ser feita em março de 2013 e causou grande polêmica quando anunciada. Porém, de lá para cá, o WhatsApp foi comprado pelo Facebook em fevereiro de 2014, registrando a partir daí um crescimento assombroso, alcançando a marca de 900 milhões de usuários ativos. Tudo indicava que a introdução de publicidade na plataforma era o seu futuro, mas isso não aconteceu.

Koum revelou que o modelo atual (primeiro ano grátis, US$ 1 a partir do segundo ano) não tem sentido para muita gente, já que muitos usuários não contam com cartões de crédito, e várias outras alternativas não obrigavam o pagamento de assinatura. Agora, o WhatsApp quer conectar pessoas e empresas, mas evitando o spam e a publicidade não desejada, o que pode indicar a chegada da publicidade na plataforma no futuro. Nesse momento, a posição oficial da empresa é evitar isso.

A ideia do WhatsApp agora é (por exemplo) comunicar usuário e o seu banco sobre a possibilidade de fraude de uma transação recente, ou uma companhia aérea para alertar o passageiro sobre os atrasos de um voo.

A estratégia do WhatsApp é similar ao do Facebook Messenger, mas a ideia do serviço de Koum é ser a alternativa definitiva ao SMS. Veremos eles vão alcançar esse objetivo. Só o tempo vai dizer.

Via WhatsApp