Shadow-of-Mordor Warner Bros

O processo movido pela FTC dos Estados Unidos contra a Warner Bros chegou ao fim, graças a um acordo que prevê que o estúdio terá que garantir que suas futuras promoções deixam muito claro que existe um pagamento ao autor, ou seja, conteúdos patrocinados.

 

Entenda o caso contra a Warner Bros

Quando o jogo Middle Earth: Shadow of Mordor chegou ao mercado, a Warner Bros quis promovê-lo através de Youtubers e formadores de opinião com vários seguidores nas redes sociais. O documento enviado aos envolvidos que aceitaram participar na ação estava claro que eles deveriam mostrar “impressões positivas” do jogo, e evitar que se vissem erros ou falhas, e não ter qualquer tipo de atitude negativa em relação ao mesmo.

Entre os participantes, nomes conhecidos internacionalmente como o PewDiePie receberam algum tipo de compensação, ou em dinheiro ou com cópias do jogo, indicando que se tratava de um conteúdo patrocinado pela Warner Bros. Porém, o detalhe é que muitos deles colocaram essa referência na descrição do vídeo, e não no vídeo em si.

Isso é um problema porque não fica visível esse alerta para todos os usuários, já que em muitos casos o vídeo estava integrado em outros sites, sem qualquer tipo de indicação clara que era um conteúdo patrocinado. Mesmo assim, em alguns casos mais graves, o alerta só era visto na descrição do vídeo quando o usuário clicava em “mostrar mais” no YouTube.

Foi uma atitude desnecessária, já que Middle Earth: Shadow of Mordor é um bom jogo, de um modo geral.

Via Mashable, Ars TechnicaFTC