holophone-text

As futuras redes 5G prometem oferecer elevadas velocidades de acesso, com melhor cobertura e latência nas conexões. Porém, muitos se perguntam por que os usuários médios precisam se conectar entre 1 e 10 Gbps a partir do smartphone. Pois bem, uma das opções pode ser a videochamada (ou telepresença) holográfica.

Uma nota de imprensa da Ofcom, regulador do Reino Unido que está em pleno processo de consulta e aprovação do espectro de 6 GHz para as redes 5G, deixa algumas opções. E as comunicações holográficas é uma das alternativas.

Esta nova funcionalidade promete relações interpessoais muito mais realistas do que a simples chamada telefônica atual, e os resultados podem ser muito úteis no setor da saúde, facilitando as consultas e diagnósticos à distância.

Porém, existem vários obstáculos no caminho. Para começar, o 5G só deve estar disponível a partir de 2020, deixando pouco tempo para um sistema de comunicação holográfico se tornar funcional o suficiente para ser integrado em um smartphone. Além disso, não está claro que tipo de aplicação será dada ao recurso: para que novos dispositivos sejam vendidos, ou para que se estimule uma mudança tecnológica.

5g-v10

Você se lembra quando vendiam o 3G como uma forma de realizar videochamadas pelos smartphones? Ok, seja sincero: algum de vocês usou DE VERDADE esse recurso assim que você teve o seu primeiro smartphone com 3G? Mais: algum de vocês usa tal recurso hoje, com assiduidade? Pois é… com as videochamadas holográficas, podemos passar pela mesma ‘experiência’.

Seja como for, é difícil acreditar que a Ofcom vai apostar de forma definitiva nessa funcionalidade como essencial para as redes 5G. Parece muito mais uma tentativa de começar a chamar a atenção dos usuários, que muito provavelmente terão alguns anos com as tecnologias atuais.

Fato é que este setor da tecnologia de comunicações móveis está avançando em um ritmo muito maior que a demanda real dos consumidores. E não creio que as chamadas holográficas serão o grande diferencial das redes 5G. Aliás, ainda não sabemos qual será a funcionalidade que vai justificar a busca pelo 5G entre os anos de 2020 e 2030. Tudo ainda é muito incerto.

Via Ofcom