mulher-bocejando

Cada pessoa é de um jeito, e isso é meio óbvio. Mas parece que os genes são os responsáveis de boa parte de muitas dessas diferenças, entre as quias a característica de ser mais ou menos madrugadores.

Um estudo realizado pela 23andMe analisou variações presentes em 15 regiões do genoma humano, incluindo alguns que estão vinculados ao ritmo cardíaco, que são o que influenciam de forma decisiva na propensão a acordar cedo e serem pessoas mais ativas nas primeiras horas do dia. Nenhuma das modificações ativa diretamente o nosso despertador interno, mas quanto mais temos delas, mais propensos seremos a pensar que 6 horas da manhã é uma hora perfeita para iniciar o dia.

O estudo indica que as mulheres são mais madrugadoras, e aqueles que contam com as citadas modificações tendem a não precisar mais do que oito horas de sono por dia para render ao máximo. O estudo ainda está em fase inicial, e precisa levar em consideração as particularidades do dia a dia de cada pessoa para melhores resultados, mas eles estão trabalhando nas melhorias do processamento dos dados.

Ou seja, no final das contas, ser madrugador não tem nada a ver com a preguiça de cada um, mas sim com os genes que cada um carrega. Obrigado, ciência, por mais uma vez me livrar das crises de consciência! ;)

Via Engadget