Para os pais preocupados, ou para aqueles psicólogos que ficam dizendo que são os videogames que fazem os jovens e adultos a metralharem pessoas no shopping: leiam esse post com muita atenção.

Um estudo realizado pela Boston Children’s Hospital pesquisou como os videogames podem ajudar as crianças a aprender a controlar a sua raiva, dominando suas emoções através do entretenimento eletrônico. Esse estudo foi conduzido por Jason Kahn e Joseph González-Heydrich, e a dupla usou para o seu experimento um jogo chamado Rage Control.

O jogo em si lembra o saudoso Space Invaders, e tem como objetivo fazer o jogador eliminar as as naves espaciais inimigas, enquanto evita acertar as naves aliadas. As crianças que jogaram o game tinham um monitor conectado ao dedo, que monitorava a frequência cardíaca e exibe esse monitoramento na tela do computador. Se a taxa cardíaca da criança subia para um determinado nível, eles perdiam a capacidade de acertar as naves inimigas.

Para recuperar a capacidade de acerto das naves, eles tinham que reduzir a sua taxa cardíaca. E faziam isso basicamente tendo mais calma, e controlando suas emoções. O estudo comparou dois grupos de crianças e adolescentes, entre 9 e 17 anos de idade, que tinham elevados níveis de raiva. As crianças que participaram do estudo tinham que ter um QI normal, e não poderiam ter uma alteração dos medicamentos consumidos durante o período do estudo, que levou cinco dias.

Um grupo de 19 pessoas recebeu o tratamento padrão para a raiava, incluindo uma terapia cognitiva-comportamental, técnicas de relaxamento e treinamento de habilidades sociais por cinco dias consecutivos. O segundo grupo, de 18 crianças, receberam o mesmo tratamento, mas nos últimos 15 minutos de cada sessão, eles passaram jogando videogames.

O estudo concluiu que, depois das cinco sessões, as crianças  que jogaram videogames foram significativamente melhores em manter a frequência cardíaca em um nível mais baixo, mostrando uma redução clinicamente significativa da raiva e da tensão. Resumindo: está clinicamente provado que, diferente das bobagens que muita gente fala por aí, se você deixar o seu filho jogando videogames desde criança, ele se tornará um adulto mais calmo e feliz.

Eu sou a prova viva disso. Passei minha infância e adolescência jogando videogames, e não matei ninguém.

Via