vendas-pcs-q1-2013-01

Sinal dos tempos. Durante meses, nós vimos e relatamos vários rumores sobre o baixo volume de venda dos computadores em todo o mundo. Logo, esse relatório pessimista do IDC quase não chega a causar surpresa para quem está em contato com esse tipo de notícia todos os dias.

Talvez o que realmente chame a atenção é o ponto que as coisas estão chegando: durante o primeiro trimestre de 2013, foi registrada uma queda de 13.9% nas vendas de computadores, em relação ao mesmo período de 2012. E essa é a maior queda em um intervalo de 12 meses que a IDC registrou, desde que começou a fazer esse tipo de estudo, em 1994.

Os motivos para essa  queda no volume de vendas não são muito claros, porque os fatores envolvidos são muito diferentes. Como por exemplo a rejeição às mudanças incluídas no Windows 8 e o constante aumento nas vendas dos tablets e smartphones. Esses são apenas alguns dos fatores que justificam o fenômeno.

Além disso, é importante levar em conta que os computadores com telas sensíveis ao toque, que são os mais populares nesse momento, custam mais caro que os modelos tradicionais, o que dificulta ainda mais o processo de expansão e vendas dos modelos.

Aproveitando o momento, a IDC também mostrou o posicionamento dos fabricantes nas vendas ao redor do planeta. A HP segue como líder global, com 15.7% das vendas no primeiro trimestre de 2013. Um pouco atrás está a Lenovo, com 15.3%, e na sequência, aparecem a Dell (11.8%), Acer (8.1%) e Asus (5.7%).

A diferença desse estudo para o anterior é que a Lenovo melhorou o seu número de vendas, mas isso não serve de consolo para o mercado em geral. Todas as demais fabricantes registraram quedas nas vendas dos PCs, e na opinião da IDC, a Microsoft deve buscar algum tipo de solução para atrair o consumidor, ou corre o sério risco de perder mais clientes para os tablets e smartphones. E o estudo nem leva em conta a Apple, que por sua vez também registrou queda em suas vendas, por algum motivo que não ficou muito claro no estudo.

Para ler o estudo completo do IDC, clique aqui.