tablets

 

Um novo estudo da IDC revela que o mercado de tablets segue em queda nas vendas, mas os modelos de baixo custo continuam a ganhar espaço.

O relatório revela que no terceiro trimestre de 2016 foi registrada uma queda de 14.7% nas vendas em relação ao mesmo período do ano anterior. Uma tendência que vem de meses.

 

 

Abram alas para a Amazon

 

top-5-fabricantes-tablets

 

O número de vendas caiu de um ano para cá, mas as distribuições aumentaram em 9,8% em relação ao segundo trimestre de 2016 (que por sua vez teve queda de 10% em comparação com 2015).

O principal destaque está na mudança entre os três maiores vendedores do setor.

A Apple segue liderando, com 9,3 milhões de tablets vendidos (21.5%, uma queda de 6,2% em relação ao mesmo período em 2015).

Quem mais cresceu no Top 5 foi a Amazon, que assume a terceira posição, na frente de Huawei e Lenovo, vendendo quase o dobro de unidades do trimestre anterior, apesar do seu aumento em relação ao ano passado não ser algo confiável (319,9%), uma vez que o IDC não incluía os dados de tablets de 6 polegadas nesses dados.

A Amazon Prime Day ajudou nesses números, impulsionando as vendas dos modelos Fire e reforçando o bom momento das ofertas de baixo custo. Resta saber se na próxima análise o recém lançado Fire HD 8 faz a diferença.

 

Compramos algo mais que tablet por um preço menor

 

tablet-amazon

 

Inicialmente, temos a convergência que sofrem umas linhas de produtos, como acontece com os conversíveis. E à eles a IDC faz referência ao falar de uma maior demanda de tablets de baixo custo.

Destacam que alcançaram um áximo para esse setor, apontando que este formato pode estar substituindo os computadores no movimento de renovação. Até porque vimos quedas nas vendas de computadores tradicionais há meses.

Logo, a Samsung mantém a segunda posição, sem sentir danos pelo desastre do Note 7. O último lançamento da empresa foi o Galaxy TabPro S no começo do ano, e eles registram vendas 20% menores que no terceiro trimestre de 2015, mas 0,5% maiores que o trimestre anterior.

Lenovo e Huawei estão entre os fabricantes que mais vendem, mas perderam posições. O primeiro tem como principal destaque o Yoga Book, mas a IDC não o inclui como um tablet e sim como um PC.

Pese ao fato de ficar atrás de Apple, Samsung e Amazon, Lenovo e Huawei contam com presença forte no mercado de tablets da Ásia, Europa, Oriente Médio e África.

 

Via IDC