Não faz muitos meses que diversos sites de tecnologia publicaram um estudo que comprovava que a velocidade média da conexão à internet no mundo tinha reduzido, o que era um cenário deprimente, se levarmos em conta o avanço tecnológico e o valor médio pago por tais conexões. Hoje, a mesma fonte, a Akami, apresenta um novo estudo que reverte (em partes) esse quadro, informando que a velocidade média global da internet aumentou em 14% no primeiro trimestre de 2012.

Falando em números concretos, os valores falam de uma velocidade média de 2.6 Mbps, o que representa um aumento de aproximadamente 25%, se comparados aos dados levantados no mesmo período do ano em 2011. Sobre o ranking dos países com maiores velocidades de conexão registradas, os países asiáticos seguem sendo os líderes da lista. No topo da tabela, temos Hong Kong, que acumula uma velocidade média de 49.3 Mbps.

Aí você me pergunta: qual foi o motivo desse aumento?

Segundo a Akami, a velocidade média das conexões aumentou porque os acessos com “grande largura de banda”, onde a especificação mínima para a conexão entrar nessa categoria é de 10 Mbps, também subiu. Países como Dinamarca, Finlândia, Coreia do Sul, Suíça e Estados Unidos acumularam um maior número de assinantes com esse padrão de velocidade de acesso nos últimos meses.

Trazendo esse comportamento para a realidade do brasileiro, esse padrão de velocidade também começa a ser essa realidade. Hoje, algumas operadoras brasileiras oferecem o acesso aos planos de 10 Mbps com preços realmente competitivos, e com um investimento que, em alguns casos, chega a apenas 50% a mais do que o que é cobrado hoje por uma conexão de 1 Mbps. Além disso, os planos combinados (TV + Telefone + Internet) oferecem vantagens nos valores finais, que acabam justificando o aumento da velocidade de conexão contratada.

Voltando ao cenário internacional, outro ponto que deve ser levando em consideração para esse aumento na velocidade está relacionado ao acesso à internet através de dispositivos móveis. Além de um maior número de dispositivos disponíveis no mercado, aumentou o número de acessos através das redes HSPA+ e LTE. A maior velocidade registrada em redes móveis no planeta foi em uma operadora da Alemanha, que alcançou uma média de 6 Mbps, enquanto que a velocidade média dos Estados Unidos é de 2.5 Mbps.

Já no quesito “acesso móvel”, o Brasil ainda engatinha no setor, mesmo com tímidos avanços. O país ainda planeja a sua conexão 4G, e o 3G em algumas operadoras simplesmente não funciona. A boa notícia é que algumas ofertas em 3G+ (ou 3.5G) estão se tornando mais populares, e algumas operadoras até oferecem tal opção de conexão, mesmo em pacotes mais baratos, ou fazem o upgrade da base inteira do 3G para o 3.5G sem custo adicional.

Para ler o estudo completo da Akami, clique aqui.