Mobile World Congress

 

A Mobile World Congress 2017 está para começar, e apesar de acontecer na Espanha nos últimos 11 anos, as suas origens remontam à 1990, na primeira edição da feira, realizada na Itália.

Aquele evento contou com apenas centenas de pessoas, contrastando demais com o evento desse ano que deve contar com mais de 10 mil presentes. Então… como foram as primeiras edições da MWC?

 

 

Congresso Mundial GSM

 

O primeiro Congresso Mundial GSM aconteceu em Roma há 27 anos. A entidade que organiza o evento é a Groupe Speciale Mobile Association (GSMA), uma organização comercial entre operadoras e fabricantes. Depois dessa primeira edição, o evento foi sediado por outras cidades europeias (Nice, Berlin, Lisboa e Atenas), até chega em Cannes em 1996, ficando por lá por 10 anos.

O evento continuava a crescer, com um maior número de visitantes e expositores. Cannes ficou pequena, e era necessário buscar outra cidade para suportar tanta gente. E Barcelona foi escolhida para sediar o Congresso GSM, em 2006.

 

Aquela edição contou com mais de 50 mil visitantes, e desde então o evento se estabeleceu na cidade, que foi considerada pela GSMA em 2011 a Capital Mundial Móvel. Em 2016, a MWC recebeu nada menos que 100 mil visitantes, um recorde para a feira.

 

 

MWC 2006/2007, com a Nokia como protagonista

 

 

Nas duas primeiras edições em Barcelona, a Nokia foi protagonista, apesar de já estar em queda. Sony Ericsson, Samsung e Motorola também receberam destaque, e o Nokia 8800 e o Motorola RAZR V3x levaram os prêmios de melhor celular GSM e melhor celular 3G, respectivamente.

Em 2007, o vídeo no celular e os sistemas handsfree eram os temas de maior destaque. Os grandes vencedores de prêmios naquele ano foram o Samsung D900 como melhor telefone GSM e o Sony Ericsson K800 Cyber-shot como melhor celular 3G.

 

 

MWC 2008/2009, o primeiro smartphone Android e um celular INQ como vencedores

 

 

Um ano depois do lançamento do primeiro iPhone, os fabricantes se mobilizaram. Em 2008, a Sony veio com o Xperia X1, com Windows Mobile 6.1 e a Nokia apresentou o N96, que pretendia ser a sua resposta contra o smartphone da Apple.

Em 2009, todos acreditavam que o prêmio de melhor telefone foi de novo para a Nokia, com o E71, mas para a surpresa de muitos o grande vencedor foi o INQ 1, modelo que se destacava por incluir recursos como acesso direto ao Facebook, Skype e Windows Live Messenger.

Ainda em 2009, conhecemos o HTC Magic, primeiro smartphone com Android na feira. A Palm mostrou o Pale Pre, e a Sony Ericsson apresentava o Sony Ericsson Satio, o primeiro do mundo com câmera de 12 MP.

 

 

De 2010 até hoje

 

 

Pese a tentativa de surgimento do Bada (Samsung) e MeeGo (Nokia e Intel), o Android segia como sistema operacional mais poderoso. Já reinava em 2010, e isso não mudou até hoje. Em 2011, a Samsung meteu as caras com o Galaxy SII, mas o prêmio de melhor telefone ficou com o iPhone 4. E isso, sem a Apple se fazer presente nessa e em nenhuma das edições da Mobile World Congress.

A Samsung mudaria isso nas duas edições seguintes, com os seus modelos top de linha premiados em 2012 e 2013 como melhores smartphones (Galaxy S3 e Galaxy S4). Em 2014, a HTC veria o seu último ano de glória, com o HTC One eleito como melhor do ano, e em 2015 o trono de melhor seria dividido entre o iPhone 6 e o LG G3.

A Samsung recuperaria a coroa em 2016 com o Galaxy S7 como melhor smartphone, mas em 2017 ficará ausente do evento, assim como a Xiaomi.

 

Como podemos ver, a importância e o alcance da Mobile World Congress para o mercado mobile é crescente. Por isso, é esperado recordes para este ano. Veremos as caras de sempre como LG e HTC, a Nokia fará o seu retorno, além dos asiáticos ZTE e Huawei.

E o prêmio de melhor smartphone da Mobile World Congress 2017? Quem deve levar?

Vamos descobrir na semana que vem.