espermatozoides-laboratorio

O Laboratório Kallistem de Lyon (França) foi o primeiro a conseguir criar o esperma humano em um laboratório. Caso a técnica tiver sua eficiência comprovada e validada, ela pode ser a solução para os homens afetados pela esterilidade, ou que não podem produzir o seu próprio esperma.

O laboratório quer começar os testes clínicos em seres humanos nos próximos dois anos, e se suas expectativas forem cumpridas, o sistema poderá ser utilizado em 50 mil pacientes por ano, criando um mercado com valor potencial estimado em US$ 1.7 bilhão por ano. Tudo é muito promissor, mas nada foi verificado de forma independente ou publicado com detalhes técnicos, e alguns especialistas mostram um certo ceticismo sobre o assunto.

Normalmente o processo de criação do esperma no corpo humano leva 72 dias. Isabelle Cuoc, CEO do Laboratório Kallistem, afirma que a sua equipe ‘é a primeira no mundo a ter desenvolvido a tecnologia necessária para obter esperma completamente formado, com a suficiente produção para uma fecundação in vitro’.

Se os testes forem bem sucedidos, a empresa teria apenas que colher as amostras do esperma infértil do homem, e transformar esse material genético em esperma maduro. A partir daí, é possível utilizar o procedimentos de fecundação in vitro, ou congelar o esperma para um uso posterior.

Via DailyMail