cancer

 

Detectar o câncer nos seus estágios iniciais é vital para o sucesso de um tratamento. Porém, isso é algo bem complicado. Felizmente, vários especialistas e cientistas trabalham duro para desenvolver novas formas de análises que permitam um diagnóstico mais precoce, simples, rápido e eficiente.

O último grande feito nesse sentido vem do Instituto de Tecnologia de Israel, que desenvolveu um sistema capaz de identificar ate 17 doenças diferentes analisando o hálito de uma pessoa.

O segredo do dispositivo está no uso de sensores baseados em nanopartículas de ouro e uma rede de nanotubos de carbono, que identificam diferentes compostos presentes no hálito da pessoa.

Os compostos são posteriormente analisados por um sistema de inteligência artificial, que relaciona os dados obtidos com informações do paciente, como idade, sexo e outros fatores relevantes.

Entre as doenças que o método detectou com êxito se encontram o Mal de Parkinson, a diabetes e oito tipos diferentes de câncer.

Porém, sua taxa de acerto ainda não é boa o suficiente para ser utilizada na medicina prática. Mas seu potencial é claro, e com as melhorias adequadas pode ser uma solução viável e muito útil.

 

 

Via Quartz