Galaxy Note 7

 

A Samsung substituiu milhões de unidades do Galaxy Note 7 para solucionar os problemas de bateria e, mesmo assim, temos o terceiro caso de aparelho reparado que explode sem qualquer explicação.

O incidente ocorreu em Kentucky. Michael Klering acordou às 4 horas da manhã com o seu quarto de hotel cheio de fumaça e o seu Galaxy Note 7 em chamas. A pior parte é que o cliente acabou em um hospital, com bronquite aguda causada pela inalação da fumaça.

Michael afirma que o smartphone supostamente era uma unidade reparada e substituída, logo, deveria estar seguro. Mas o mais curioso é que ele não estava conectado na corrente elétrica ou a nenhum acessório. Simplesmente estava repousado sobre a mesa.

A Samsung solicitou a unidade incendiada para analisar o problema, mas Klering se recusou a devolver o produto, deixando a situação um tanto quanto tensa. Mesmo assim, a Samsung pagou os gastos da radiografia e os gastos médicos do acidentado.

 

 

Porém, tem uma questão muito importante…

 

A grande pergunta é: por que Klering se recusa a devolver o seu Galaxy Note 7?

Eis o mistério.

Para completar, o afetado recebeu uma mensagem de texto de um diretor da Samsung, que supostamente ele não deveria ter recebido, com os dizeres:

“Logo agora me encarrego disso. Posso tentar impedí-lo se levarmos a pensar que estamos dando importância, ou deixamos que ele siga com a ameaça e veremos se finalmente ele leva adiante.” 

Depois de receber esta mensagem, Klering pensa que a Samsung não está levando à sério os problemas do Galaxy Note 7.

Lembrando: já é a terceira unidade supostamente reparada que pega fogo.

Veremos o que acontece a seguir.

Via The VergeWKYT