Você sabia que, na Dark Web, tem um kit que permite o acesso à caixas eletrônicos do tipo ATM (muito populares nos EUA e Europa), permitindo assim o assalto sem a necessidade de digitar qualquer código ou senha?

Isso mesmo. Estão hackeando os caixas eletrônicos, com vários métodos para extrair o dinheiro.

Além dos métodos fisicamente destrutivos, algumas técnicas recorrem a malwares que permitem a manipulação das máquinas.

O kit custa aproximadamente 4 mil euros, e é composto por três elementos:

 

1. SoftwareCutletMaker, que funciona como o método principal responsável pela comunicação com a ATM.
2. Programac0decalc, que gera uma senha de forma a rodar e proteger o Cutlet Maker de usuários não autorizados.
3. Aplicativo Simulador, que verifica o status atual das ATMs, com rapidez, identificando a moeda, valor e número de notas em cada caixa eletrônico, onde o hacker se dá ao luxo de escolher aquela que tem o maior valor para roubar, no lugar de levantar o dinheiro contido em cada uma delas.

 

Para conseguir executar o assalto, é preciso ter acesso ao interior da ATM, através da porta USB da máquina para carregar o malware.

Depois, basta instalar o Cutlet Maker. Uma vez que esse software é protegido com uma senha, o c0decalc entra em ação, instalado em outro dispositivo, como um tablet ou notebook, como uma espécie de proteção de copyright para evitar que o Cutlet Maker seja utilizado por outros hackers de forma gratuita.

Depois do código criado, basta inserí-l na interface do Cutlet Maker para iniciar o roubo do dinheiro.

Esse kit de roubo de caixas eletrônicos está a venda desde 27 de março de 2017 na Dark Web. O responsável por esse malware ainda não foi identificado.