fifa-2014-exoesqueleto

O chute inicial da Copa do Mundo 2014 será mais especial do que nunca. Diferente de outras oportunidades, onde um esportista ou celebridade tem a honra de dar começo ao torneio, será um adolescente de cadeira de rodas que, ajudado por um exoesqueleto, vai dar um chute inaugural do mundial de futebol.

Isso será possível graças ao “Walk Again Project”, um projeto de colaboração internacional sem fins lucrativos, onde se encontram envolvidas universidades e organizações de vários, países, assim como o laboratório brasileiro Nicoleis Lab, encarregado pelo desenvolvimento do exoesqueleto.

Um dos vídeos desse post publicado pela Universidade do Colorado (um dos colaboradores do projeto) mostra como funciona o capacete de controle que se comunica com o exoesqueleto – além de várias imagens conceituais do projeto. Este, impresso em 3D, se encarrega de monitorar a atividade cerebral e transformar os sinais em impulsos elétricos que são recebidos pela estrutura robótica para a execução dos movimentos desejados.

A ideia é que esses movimentos sejam devolvidos ao sujeito em um momento posterior, de forma que ele possa “sentir” o que está fazendo. Quando a pessoa tocar o solo, ou quando a roldana do esqueleto robótico se mover, os sensores táteis farão com que estes sinais gerados no robô voltem para o usuário, através de uma camiseta que transmite esses sinais de volta para a pele dos braços ou do dorso, onde a sensibilidade se manteve intacta.

Para que você possa entender melhor tudo o que essa iniciativa ambiciosa envolve, temos também uma entrevista com Miguel Nicoleis, responsável pelo projeto, que conta mais detalhes, como o tempo que levou trabalhando nele, seus objetivos e muitos outros detalhes.

 

Via TechCrunch, Portal da Copa do Mundo FIFA 2014