Google_Glass_Explorer_Edition

Pense na seguinte situação. Você tem uma reserva em um restaurante para um jantar em família, chega ao local, e quando você vai se sentar no seu local, um dos garçons se aproxima com cara de poucos amigos, e dispara: “não pode usar isso – ou você guarda isso, ou terá que abandonar o local”. O “isso” em questão é o seu Google Glass, que você usa com tanto orgulho.

Mas a história não acaba aqui, pois o cliente afetado com a abordagem do garçom pediu explicações sobre a decisão anunciada. Por que ele teria que abandonar o restaurante? Qual era a regra infringida?

Pois é… conforme o tempo passa, mais e mais estabelecimentos comerciais estão se mostrando contrários ao uso dos óculos do Google, argumentando que os seus clientes se sentem incomodados diante da possibilidade de serem fotografados ou gravados em vídeo.

A história que contei acima aconteceu no último dia 22 de novembro, em um restaurante de Seattle (EUA), onde Nick Starr, um engenheiro que foi afetado com essa abordagem, entrou no Lost Lake Cafe para jantar com os seus amigos, utilizando um Google Glass. Diante da inesperada solicitação, Starr perguntou quais normas ele estaria infringindo, e exigiu ver esse regulamento.

A discussão ficou acalorada, e acabou com todos os clientes abandonando o local. Nick não teve dúvidas, e foi até o seu perfil no Facebook para compartilhar o incidente com os seus amigos, e familiares, e rapidamente a história alcançou os principais meios de imprensa. Questionado sobre o assunto, o responsável pelo restaurante foi taxativo: “se alguém entra com uma câmera de vídeo gravando o ambiente, pedimos que apague a gravação. Se fala alto demais ao utilizar o telefone, pedimos que se retire”, sugerindo que não se trata de uma empreitada explícita contra o Google Glass…

…ou eu estou enganado?

O que você acha de tudo isso?

Via The Daily Dot, Facebook (Nick Starr)