instagram

Um bot baseado em IA no Instagram localiza jovens deprimidos, baseados nos padrões do conteúdo de suas fotos.

A inteligência artificial está mudando a forma como usamos e percebemos a tecnologia, sendo inclusive uma grande companheira no campo das ciências sociais e até da medicina.

Nesse caso em especial, a inteligência artificial é usada pela psicologia e psiquiatria para encontrar jovens com padrões de depressão, utilizando os conteúdos que eles enviam para as redes sociais.

De acordo com o estudo, o bot analisou as contas do Instagram de 166 pessoas (sim, é pouco, mas o suficiente para começar) em busca dos tais marcadores de depressão clínica.

Com uma amostra mais ou menos controlada, a inteligência artificial avaliou os marcadores de forma muito mais precisa que os médicos no diagnóstico de depressão, utilizando como único fator de referência as fotos enviadas pelos usuários.

Os dados foram coletados de 43.950 fotos enviadas ao Instagram, analisando cores, componentes de metadados e a detecção de rostos via algoritmos. E o resultado superou a média de sucesso do diagnóstico humano.

O estudo revelou detalhes interessantes sobre os jovens em depressão nas redes sociais.

As fotos enviadas pelo Instagram por pessoas deprimidas se baseiam mais em tons azul, cinza ou escuros, que são as que recebem menos likes. Também optam mais pelas filtragens de cores das fotos publicadas, mas com aversão à fotos artificialmente processadas.

Obviamente, tudo isso se baseia em um controle de um algoritmo artificial, e algumas das relações do software podem ser artificiais. O bot serve mais como exercício teórico, mas pode ser a base para um futuro onde a detecção prévia da depressão nas redes sociais se torne uma realidade, ajudando inclusive a salvar vidas.

 

Via 9to5Mac