algoritimo

Um grupo de pesquisadores da Universidade da Califórnia refinaram um algorítimo que consegue detectar o sarcasmo nas mensagens das redes sociais com uma precisão de 75%. Um estudo de 2005 mostra que o ser humano tem uma margem de acerto de 56% na hora de detectar o sarcasmo em determinadas expressões.

Os pesquisadores quiseram melhorar ainda mais o algorítmo, e para isso levaram em conta a informação contextual relevante como o tema da conversa, a audiência que estava dirigida a mensagem ou o autor das mensagens. A análise desses aspectos elevou a precisão para 85%.

Em uma série de testes com mensagens do Twitter, eles analisaram as mensagens que continham hashtags que claramente indicavam que as mensagens eram sarcásticas (#sarcasm, #sarcastic) e ao eliminar as hashtags para passar para o restante das mensagens para o algorítmo, eles também levaram em conta o histórico de mensagens desses autores ou os temas que eles conversavam.

Isso fez com que a precisão de detecção de sarcasmo aumentasse, o que é especialmente habitual em certos casos específicos. Por exemplo, os usuários que são “homens, sem identidade verificada e do fuso horário dos Estados Unidos” indicavam o uso do sarcasmo, mas também o faziam em maior média as mensagens que falavam de séries de TV, arte ou os usuários que tinham um histórico de mensagens com sentimentos negativos.

Esse tipo de algorítmo pode ser muito útil na hora de obter conclusões muito mais coerentes sobre os comentários que os usuários deixam em vários serviços, como sites de compras online. A análise pode também ajudar na segurança nacional, para diferenciar brincadeiras ocasionais de potenciais ameaças reais.

Via Berkeley