protestos-ucrania

Esse é o último movimento na crise que se faz presente na Ucrânia nesse momento, onde a Rússia decidiu intervir militarmente em um assunto que, definitivamente, não lhe diz respeito, colocando metade do mundo civilizado em alerta máximo. O chefe do serviço nacional de segurança ucraniano (SBU), Valentyn Nalivaichenko, garantiu à Reuters que o sistema de telecomunicações do país está sofrendo ataques cibernéticos lançados com equipamentos localizados na Crimeia, território agora ocupado e controlado pela Rússia.

Os ataques estão sendo lançados para interceptar os dispositivos móveis de membros do parlamento ucraniano. “Posso confirmar que estão se produzindo pelo segundo dia consecutivo um ataque IP-telefônico sobre os celulares de membros do parlamento”, garante Nalivaichenko. “Na entrada da companhia de telecomunicações Ukrtelecom na Crimeia, foi instalado de forma ilegal e violando todos os contratos comerciais equipamentos que bloqueiam meu celular e os dispositivos móveis dos parlamentários, independentemente de sua afiliação política”, afirmou.

Nalivaichenko garante que eles já estão trabalhando para restabelecer as linhas, mas que “a segurança dos sistemas do Estado não estava preparada para tal violação da lei”.

Essa é a primeira onda de ataques cibernéticos conhecida sobre a Ucrânia, e a primeira supostamente lançada pela Rússia. Infelizmente, tudo indica que não será a última.

Via Reuters