A Canonical anunciou oficialmente o lançamento do Ubuntu Phone OS, fazendo assim oficial a sua entrada no mundo da telefonia móvel. O sistema operacional tem como objetivo competir diretamente com o Firefox Os, Open WebOS e, obviamente, o popular Android, uma vez que estamos nos referindo a plataformas baseadas em software livre (mesmo sem saber até que ponto o sistema da Canonical é “livre).

O Ubuntu Phone OS é baseado no código fonte ou kernel do Android, mas com a grande diferença de não utilizar o motor do Java (Dalvik). Os seus responsáveis garantem que o sistema vai aproveitar todo o potencial de um smartphone com uma menor exigência de hardware, prometendo esse ser o principal diferencial do Ubuntu Phone OS para o Android.

A Canonical promete que os primeiros smartphones com o seu sistema estarão disponíveis antes do final do primeiro semestre de 2014, e que a empresa já está conversando com fabricantes que hoje contam com experiência com os smartphones Android.

Um dos pontos mais interessantes sobre o anúncio do novo sistema é que ele pode funcionar em processadores com arquitetura ARM e x86. Isso vai abrir as portas para muitos tipos de produtos, incluindo smartphones com processadores Intel, além de oferecer um maior leque de opções para a comunidade de desenvolvedores.

De fato, ainda que os primeiros terminais com o Ubuntu Phone OS só chegarão ao mercado no ano que vem, a Canonical garante que nas próximas semanas estará disponível para os desenvolvedores uma versão do sistema, que poderá ser instalada no Galaxy Nexus. Isso quer dizer que qualquer curioso no assunto (incluindo você, leitor do TargetHD.net) que seja proprietário de um desses smartphones, se tiver o conhecimento necessário, poderá testar os benefícios desse sistema operacional antes da maioria dos usuários de dispositivos móveis.

Duas coisas curiosas: os aplicativos nativos só vão funcionar quando o smartphone estiver conectado a um dock, e este, a um monitor ou tela externa. Ou seja, o Ubuntu Phone OS vai se comportar da mesma forma que o Ubuntu for Android, oferecendo uma espécie de híbrido entre o smartphone e o computador portátil. O segundo detalhe é que o kernel do Android vai permitir a execução de ROMs personalizadas para o sistema operacional, facilitando a vida de equipes de desenvolvimento (como a CyanogenMod).

Abaixo, um vídeo demonstrativo.

Via SlashGear, Daily Mobile, The Verge