uber

 

A Uber é acusada de espiar a localização de seus clientes, sem qualquer motivo legal.

A empresa já é alvo de duras críticas depois que foi descoberto que alguns dos seus executivos acessavam o seu sistema apenas para ver onde seus clientes estavam em tempo real. Na época, a Uber se defendeu afirmando que o acesso a esse tipo de dados foi fortemente restrito, e que os funcionários que acessavam essas informações de forma indevida seriam demitidos.

Agora, ex-funcionários da empresa responsáveis pela área de segurança afirmam que pouco ou nada mudou, e que ainda é muito fácil para qualquer funcionário saber onde qualquer usuário está. Afirmam que frequentemente amigos pedem para ver onde algumas pessoas estão.

Soma-se a isso as acusações de que a empresa nada tem feito para cuidar disso, mesmo quando o problema é reportado. Sem falar no fato da empresa estar mais preocupada em eliminar as provas negativas do problema.

São acusações graves por si, mas que só pioram quando levamos em conta que a empresa recentemente pediu para que seus clientes confiassem nela (ou exigiu isso) para ter acesso à sua localização, mesmo quando não estão utilizando o serviço.

Tudo isso torna a Uber uma “mini-NSA”, com o agravante de que não há qualquer controle sobre quem poderá acessar tais informações.

A Uber está sendo processada por um de seus ex-funcionários que foram contratados para melhorar as questões de segurança. Vai ser interessante ver o resultado desse processo, e em como a empresa vai recuperar a confiança dos seus clientes.

Isso é, se as acusações vierem a se confirmar, é claro.

 

Via RevealNews