twitter-room

O Twitter conta hoje com 302 milhões de usuários ativos por mês, mas tem um grande problema: só perde dinheiro. Os últimos resultados trimestrais da empresa mostram um aumento dos ingressos de até US$ 436 milhões durante os três primeiros meses de 2015 (74% a mais do que o mesmo período em 2014), os lucros ficaram muito abaixo do esperado.

Mais um trimestre se passou, e o Twitter gasta mais do que ganha, gerando um prejuízo líquido de US$ 162. Não podemos dizer que isso é uma novidade: desde a sua entrada na Bolsa de Valores, o Twitter não deixou de registrar perdas: desde o final de 2013, a rede social do passarinho azul já perdeu US$ 1.25 bilhão.

O site Quartz publicou um gráfico muito revelador, comparando os lucros ou prejuízos líquidos do Twitter e do Facebook, desde que as duas empresas entraram na Bolsa. O Facebook também começou em leve queda, mas um ano depois, começou a apresentar lucros. No Twitter, por outro lado, a linha é descendente: eles seguem perdendo dinheiro, e isso acontece a seis trimestre (18 meses).

650_1200 (2)

Diante desses resultados, o Twitter modificou sua previsão para o segundo trimestre: no lugar dos US$ 540 milhões antecipados, a previsão foi rebaixada para US$ 485 milhões. Se isso te parece pouco, todos esses números vazaram antes do tempo, provocando uma queda ainda maior no preço das ações, que fechou o pregão com uma queda de 18%.

Um dia péssimo para o Twitter.

 

Objetivo: fazer dinheiro

Uma crítica comum feita ao Twitter é o estancamento do crescimento do número de usuários. O Twitter trabalha nisso, adicionando melhorias (como o Instant Timeline, por exemplo), resumos personalizados e outras funcionalidades. Porém, essa preocupação parece ter ficado em segundo plano para os investidores. A principal meta agora é traduzir os números de crescimento recentes (18% em relação ao primeiro trimestre de 2014).

Uma das preocupações é ver que o Twitter ainda não sabe trabalhar na publicidade par ao usuário. Por que o Facebook consegue vender tão bem a publicidade, e o Twitter ainda não? Ainda que as redes sejam distintas, parece que o Twitter está agarrado aos anúncios de pequenas e médias empresas.

Tudo isso acontece com o eterno rumor que ronda por meses: o suposto interesse do Google em fazer do Twitter algo que é seu. Ainda que isso soe como loucura nesse momento, o mundo da tecnologia já nos apresentou rumores bem malucos se materializarem (que o diga os usuários do Facebook e do WhatsApp).

O que está claro é que o Twitter precisa fazer alguma coisa, para evitar que a queda livre continue.