galaxy-note-7-teaser

 

Pode parecer prematuro dizer isso, mas estamos testemunhando o começo do fim do Galaxy Note 7 no mercado.

Os novos problemas de bateria com os modelos supostamente revisados e seguros podem simplesmente acabar com a credibilidade de um modelo que tinha tudo para ser o melhor phablet do mercado e um dos melhores smartphones de 2016.

Os questionamentos diante do novo cenário são diversos, mas dois deles são pontuais nesse momento.

 

 

A Samsung foi apressada demais?

 

samsung28

 

Muitos veículos afirmam que a Samsung agiu de forma apressada em várias fases desse processo.

Para começar, antecipou o lançamento do Galaxy Note 7, fazendo com que o modelo fosse anunciado antes dos novos iPhone 7 e iPhone 7 Plus da Apple. E essa decisão fez com que o processo de desenvolvimento e fabricação do aparelho fosse naturalmente acelerado.

Essa atitude pode ter resultado nos problemas que temos hoje. Problemas estes que, por sinal, não são mais de uma bateria específica (antes identificada como da Samsung SDI), mas sim um problema de concepção do projeto. É uma deficiência técnica do aparelho que ainda não foi descoberta pelos coreanos.

Outro momento em que a Samsung foi apressada foi na hora de resolver o problema.

Agir rapidamente com um recall dos aparelhos foi algo mais que providencial. Uma medida elogiada por todos. Porém, tudo indica que os coreanos não se certificaram se o problema estava realmente resolvido por completo, liberando as unidades “imunes” em um tempo muito reduzido.

Ou seja, faltou uma investigação mais aprofundada sobre a questão.

 

A Samsung é capaz de se recuperar dessa situação?

 

galaxy-note-7-executivo-samsung

 

Essa missão é tão ou mais complicada quanto resolver o problema técnico do Galaxy Note 7.

Os prejuízos que a Samsung deve sofrer são considerados multimilionários. Suspensão das vendas, devolução de unidades, suspensão da produção de produto, os prejuízos de restituição de danos dos usuários, e o mais sério deles: a imagem da empresa mais que arranhada.

O caso do Note 7 que explode já entrou na história dos grandes fiascos do mundo da tecnologia, e talvez com o passar do tempo as pessoas parem de falar disso. Mas isso não quer dizer que elas vão se esquecer do episódio tão cedo.

E, de modo direto, o Galaxy Note 7 pode ser considerado um modelo morto para o mercado. Muito dificilmente a grande massa de usuários voltará a cogitar investir o seu dinheiro em um dispositivo que pode pegar fogo a qualquer momento.

O que é uma pena, de verdade. O Note 7 era um modelo realmente impressionante.