apple_logo_style

Em entrevista ao Telegraph, o CEO da Apple, Tim Cook, afirmou que o iPad Pro vai substituir os computadores de mesa e notebooks, pelo menos nos postos de trabalho.

Tim Cook parece que aprendeu a vender a sua imagem no estilo Steve Jobs, se amando e amando os seus produtos. Um marketing de alto nívels, ainda que no caso de Jobs se resume ao seu túmulo, já que o mesmo ficou conhecido pela repulsa aos tablets do tamanho do iPad Pro e lápis óticos.

Mas o mercado impões suas regras, e para muitos a Apple tem as suas. Por exemplo, comercializar um iPhone “phablet” e tablets “mini” (dois produtos proibidos na era Jobs), e nessa semana temos o iPad Pro, que chega para competir com o Surface Pro da Microsoft, além de entrar no segmento de destaque no mundo dos PCs: os conversíveis 2 em 1.

Claramente focado ao mercado profissional e corporativo, o novo tablet da Apple vem cobrir um espaço onde a empresa não tinha nada para oferecer. Cook profetiza na entrevista que o iPad Pro será o dispositivo escolhido nos escritórios de trabalho. O problema é que, do outro lado, o Windows oferece uma grande oferta em qualidade e quantidade, sem falar que a Apple já vende iMac e MacBooks, que não deixam de ser PCs com OS X.

Se a profecia de Cook se cumprir, os computadores da Apple também serão canibalizados.

iPadPro_2

Veremos como o mercado vai aceitar o iPad Pro. Ele não deve acabar com os PCs, talvez nem recupere o mercado de tablets. A venda de iPads segue em queda (20% no último trimestre), caindo pela primeira vez desde o seu lançamento da casa das 10 milhões de unidades vendidas.

Via Telegraph