apple-fabricas-trabajadores

Fazia tempo que não havia notícias das práticas nada legais da Apple na China, e o ano de 2014 não podia se encerrar sem esse assunto. A BBC exibiu um documentário onde evidenciar as condições dos trabalhadores nas fábricas da China, que são muito longe das ideais, apesar da Apple tentar mudar a sua política nos últimos anos.

A reportagem gravou de forma encoberta dentro das fábricas da Pegatron, onde os novos iPhones são fabricados, e captaram imagens onde é possível ver trabalhadores exaustos e desmaiando por conta do cansaço das longas jornadas de trabalho. De acordo com a matéria, os trabalhadores passam por turnos de 12 horas diárias, ou 60 horas semanais (muto acima das 44 horas semanais de trabalho estipuladas na China). O truque para que a prática não seja ilegal pode estar no tempo de hora extra concedido pelas leis do país, que é de 36 horas adicionais por mês.

Tim Cook, CEO da Apple, se manifestou sobre a matéria.

Afirmou estar profundamente ofendido pelas novas acusações recebidas sobre as más condições de trabalho nas fábricas chinesas. De acordo com o jornal The Telegraph, em um e-mail enviado em nome de Jeff Williams (vice-presidente sênior de operações da Apple) para todo o pessoal da empresa no Reino Unido (quase 5 mil funcionários), ele e Cook faz duras declarações sobre o programa transmitido pela BBC.

De forma resumida, a dupla afirma que o programa da BBC colocou os valores da Apple em cheque, afirmando que a matéria faz insinuações de que a Apple poderia quebrar uma promessa feita aos trabalhadores da cadeia de fabricação, ou enganar os clientes. Questionou as afirmações da matéria sobre o compromisso da empresa com as condições de trabalho de suas fábricas, e afirma que nenhuma outra empresa está fazendo tanto como eles para garantir condições de trabalho justas e seguras, investigando e detectando problemas, resolvendo os mesmos e seguindo adiante. E afirmam que a BBC está bem longe da realidade dos fatos.

O descontentamento dos executivos de Cupertino não poderia ser maior, e não é para menos. As várias horas de trabalho não são o único ponto negativo da matéria da BBC contra a Apple: um jornalista foi obrigado a entregar o seu documento de identidade (algo que é contra a lei, que te obriga a levar sempre contigo uma identificação) para funcionários da fábrica, e durante os testes de seleção do pessoal, algumas perguntas sobre a saúde e segurança dos candidatos não foram bem esclarecidas, e as preferências de trabalho são utópicas nas fábricas, onde todos os trabalhadores são obrigados a realizar turnos noturnos, ficando de pé por longos períodos.

Se isso tudo não fosse o bastante, os funcionários das fábricas são obrigados a morar com até 12 pessoas (algo que já foi motivo de polêmica na época das acusações envolvendo a Foxconn), quando as diretrizes da Apple indicam um máximo de 8 pessoas.

Como você pode ver, as coisas não estão muito favoráveis para a Apple nesse aspecto.

E você? Em quem vai acreditar?

 

Via The Telegraph