smartphones

Há um novo tipo de ataque que nenhum antivírus pode detectar: as telas touch de smartphones substituídas com um chip malicioso integrado.

Um novo estudo mostra que esta é uma nova forma eficiente para hackear um smartphone ou tablet. No estudo, foram utilizados os dispositivos Huawei Nexus 6P e LG G Pad 7.0, e o método foi capaz de assumir o controle dos dispositivos via chip malicioso integrado na tela trocada.

Com isso, um hacker poder ter acesso a fotos e dados dos seus aplicativos, ou até direcionar os usuários para sites de pishing, explorando as vulnerabilidades para obter controle absoluto do smartphone.

 

 

O método pode resultar em ataques em grande escala, e os desenvolvedores de sistemas deveriam considerar os componentes de substituição além do limite de confiança do smartphone para desenvolver suas defesas.

É um tipo de ataque muito difícil de ser descoberto, pois os softwares não conseguem detectar, e o hardware sobrevive às atualizações do sistema operacional. Para acessar o chip malicioso, foi preciso um soprador de ar quente na conexão do controlador touch, que foi substituído por um componente malicioso. O restante do hardware e software se mantém como original.

Mais da metade das pessoas com um smartphone já danificaram a tela do seu dispositivo pelo menos uma vez. Logo, a ideia de explorar as telas touch de terceiros não é nenhum absurdo.

Porém, a maioria dos smartphones modernos são muito compactos, o que torna a manipulação de suas entranhas algo difícil. Além disso, os iPhones contam com módulos de segurança para bloquear recursos como o Touch ID de serem manipulados.

Mesmo assim, dá medo ver os vídeos abaixo.

 

 

 

 

+info