Por muitas vezes foi falado da qualidade da tela do novo Samsung Galaxy S III, e o quanto ela melhorou em relação ao Galaxy S II. Noves fora para todo o novo hardware adicionado pela Samsung na versão mais nova… o quanto a tela do S III é melhor?

O pessoal do site DisplayMate resolveu fazer o teste, comparando até três telas AMOLED no mercado, em conjunto com os dois já citados smartphones da fabricante sul-coreana. Como já era de se esperar, esta comparação não serviu para se conhecer em detalhes a evolução da tecnologia AMOLED e as inovações aplicadas pela Samsung para uma melhor experiência visual, mas outros detalhes permanecem os mesmos já apontados por outros dispositivos.

A gama de cores se mantém nos 138% do padrão sRGB em todas as telas, e é por causa disso que as imagens apareçam saturadas nas telas. Ou seja, não adianta xingar muito o seu fabricante: todos usam o mesmo sistema de cores, e o diferencial pode ficar por conta do processamento gráfico de cada dispositivo. Sobre a temperatura de cores, o site revela que  ainda que a Samsung tenha um tom de branco mais natural, com o Galaxy S III alcançando os 7.900 K, o modelo top dos sul-coreanos fica longe do que é considerado ideal, ou seja, os 6.500 K.

Acredite, se quiser, mas em um smartphone que, no Brasil, custa R$ 2.100,00, temos um ponto onde teoricamente o Galaxy S III piorou (segundo o estudo da DisplayMate): o reflexo da luz.

Vale registrar que essa piora não é tão acentuada como se imagina, mas é uma involução, uma vez que o Galaxy S III conta com 5% de reflexo, e esse valor ainda é um dos mais baixos entre os modelos top de linha do mercado atual. Porém, é uma taxa de reflexo mais alta do que os presentes nos modelos anteriores. Honestamente, não sei até que ponto os proprietários do S III serão prejudicados com 5% de reflexo em suas telas. Talvez as mulheres que gostam de retocar o batom e a maquiagem usando a tela do smartphone como “espelho”.

Se você quiser ler o estudo completo, clique aqui.