Imagem: mightyohm, CC 2.0

Pesquisadores do departamento de química da Universidade de York descobriram indícios de grandes possibilidades de que os resíduos das LCDs possam ser usados para a medicina moderna. Pelas informações deles, uma substância presente nestas telas, derivada do acetato, misturada com o etanol com algumas diferenças de temperaturas, consegue se obter um material com propriedades anti-microbianas que, combinadas com nanopartículas de prata, são capazes de eliminar as bactérias conhecidas como E.coli.

Até aí, tudo bem. O mais interessante do processo é que os resultados das pesquisas serão expostos pelo doutor Andrew Hunt, durante a Green Chemistry and Engineering Conference, que vai acontecer em Washington, D.C., e que esta descoberta já representa que, no futuro, os LCDs serão uma das principais fontes de remédio para as infecções, assim como um dos principais produtos de reciclagem da tecnologia.

Fonte