Tal como no ano passado, a nova salvação (?) para muitos dos amantes de tecnologia chegou hoje em 21 países. A segunda geração do iPhone da Apple, onde sua grande novidade é o recurso de rede 3G. Em 21 países, confusão, pessoas comemorando, se acotovelando, protestos e derivados.

Olha o tal brinquedinho aí…

Se bem que, a coisa mais interessante que ocorreu antes do lançamento do novo iPhone foram os protestos de ativistas ambientais em frente à Apple Store, em Nova York. Eles alegam que a Apple, na confecção de seu gadget, agride normas diretas de proteção ambiental.

Sem querer dar uma de politicamente incorreto, mas convenhamos: era um bando de hippies, todos vestidos de verde (por causa da erva), com aquela aparência de que saíram de Woodstock no fim de semana passado e que, no fundo, também queríam o iPod, mas não têm a grana para isso (e viverem dois anos preso à AT&T).


Divertido também é que já se mostra as reações ao redor do mundo com os primeiros compradores do novo produto. Rapaz, dá até pra pensar que é o grande acontecimento, pois a venda de um produto eletrônico ganha contornos de uma mega estrela atravessando as grande ruas das cidades do mundo todo: dificilmente vi um produto ser tão desejado pelo mundo capitalista. Vejam alguns dos primeiros compradores do iPhone pelo mundo:

Primeiro comprador na Alemanha

Primeiro comprador no Japão

Primeiro comprador na Inglaterra

Bom, de qualquer forma, é festa na “Apple Nation”… confesso que estou muito curioso para ver como vai ser a histeria coletiva aqui no Brasil quando o produto chegar. E é melhor a gente ter um bocado de paciência: o produto ainda nem começou a ser analisado pela ANATEL, e as operadoras pretendem colocá-lo à venda a partir de setembro, somente para aqueles que adquirirem o plano de 3G… ou seja, para muitos que usam celular “pai de santo” (inclusive eu), é melhor esquecer o iPhone… por enquanto.

Até +!!!