Pesquisadores da Universidade de Michigan desenvolveram uma prótese de pé mecânica muito mais cômoda de se utilizar, uma vez que ele usa de energia cinética para armazenar a força exercida para dissipá-la quando a pessoa usa o pé para impulsar a elevação do corpo.

Isso é possível por causa de um micro controlador que indica o momento preciso para descarga da energia. Os primeiros testes indicam que este pé robótico só precisa de 14% a mais de energia para sua utilização, que pode parecer muito, mas na verdade, é uma melhora substancial diante dos 23% que as próteses convencionais precisam.

Fonte