Arquivo para a tag: dvd

Universidade australiana cria DVD com 1.000 TB de armazenamento

by

dvd-mirror

Um projeto australiano conseguiu a façanha de adicionar 1.000 TB de dados em um único DVD. Lembrando que os discos comercializados hoje alcançam, no máximo, 8.5 GB.

Uma equipe da Universidade de Tecnologia de Swinburne (Austrália) são os responsáveis pelo feito, que se baseia no uso de dois lasers de 500 nanômetros, onde o segundo vai afinar o trabalho do primeiro, reduzindo o espaço ocupado e, com isso, aumentando a densidade. Eles trabalharam no projeto por anos (os primeiros registros datam de 2013), e agora eles conseguiram o investimento necessário para continuar o projeto. Por enquanto, não sabemos se esse DVD chegará ao mercado de alguma forma, ou se será uma simples inovação acadêmica que ficará disponível para o desenvolvimento de outras empresas.

Ou seja, enquanto muitos achavam que os DVDs estavam mortos, essa inovação reinicia o debate sobre a eficiência do armazenamento óptico. Talvez os 4.7 GB ou 8.5 GB dos DVDs tradicionais eram insuficientes. Mas… o que dizer de um DVD de 1.000 TB? Na ausência de outros detalhes (dispositivos necessários, velocidade de acesso e leitura, tempo de gravação, etc), não me parece ser uma má ideia dar uma nova chance para esse formato de armazenamento.

Via TweakTown, ScienceAlertUniversidad de Swinburne

ASUS apresenta a gravadora de DVD mais fina do mundo

by

asus-sdrw

Uma unidade de DVD ainda tem espaço nesse blog? Claro que sim! Tá, eu não me lembro quando foi a última vez que eu tive que gravar um disco de qualquer coisa, mas isso não me impede de destacar o último lançamento da ASUS: a gravadora de DVD SBC-06D2X-U, que se denomina como “a gravadora de DVD mais fina do mundo”.

Por contar com apenas 18,5 mm, ela realmente pode contar com esse título. Seu design é bem familiar para os usuários que já estão familiarizados com a linha de unidades óticas externas da ASUS. Está disponível em pelo menos três opções de cores, e vai contar com um sistema de criptografia de dados, para proteger os seus arquivos mais importantes.

As demais especificações sobre o periférico não foram detalhadas, de modo que se o seu trabalho ainda depende da ditadura das mídias óticas, não podemos por enquanto informar para você quanto o produto custa, ou quando ele será vendido. Por enquanto, são essas as informações que temos para passar. E peço desculpas pela decepção que você acabou de ter. Estou sentindo o mesmo nesse momento. Não sei porque escrevi isso, mas certamente você entendeu onde eu quero chegar.

 

Via ASUS @ Google+

 

[Editorial] A lenta morte dos dispositivos de armazenamento externo

by

No começo deste ano de 2012, abri mão da Campus Party Brasil 2012 para “me dar de presente” um ultrabook, que se tornou muito útil durante as viagens e coberturas de eventos de imprensa dos blogs. O modelo que escolho (Toshiba Portege Z835) possui pelo menos três portas USB (uma delas é uma porta USB 3.0), WiFi, Bluetooth, 6 GB de RAM, alguns GBs de armazenamento, e tudo o que um bom portátil pensado no trabalho pode me oferecer. Nem sinto falta do gravador de DVD, pois nos últimos 18 meses, pouco tenho utilizado esse tipo de mídia no meu trabalho.

Hoje, eu vivo de escrever nos blogs. Literalmente. Para mim, o que eu queria encontrar em um equipamento como um ultrabook era um bom desempenho, um teclado confortável e uma tela com tamanho razoável para visualizar as informações na tela com maior clareza, e encontrei tudo isso nesse modelo. É claro que já começo a pensar em um modelo com uma capacidade maior de armazenamento de dados, mas por enquanto estou satisfeito com ele. Alguns me perguntam: “ah, mas se você está viajando e quer ver um filme no computador”. Eu respondo: “dou graças ao bom Deus pelo YouTube e Netflix existir, pois dessa forma, não preciso ficar me preocupando com CDs e DVDs”.

Não me lembro quantas vezes eu utilizei a unidade de DVD do meu outro notebook (o convencional, o que uso para editar os vídeos do blog). Mesmo. É algo que se tornou totalmente obsoleto no meu dia a dia. E, mesmo no caso de buscar arquivos do passado, ou “do tempo do onça”, não recorro aos velhos backups que fiz em 2008 ou 2009, que foram os meus primeiros anos como blogueiro. Por que? Não me perguntem. Nem eu entendo direito.

O mesmo exemplo está acontecendo com os meus discos rígidos externos. Tenho quatro unidades portáteis aqui em casa, com tamanhos que variam entre 160 GB e 500 GB, todas com finalidades específicas. Eu acreditava que elas seriam mais úteis no meu trabalho ou nas minhas atividades pessoais, mas no final das contas, elas se tornaram apenas o local onde vou salvar as séries e filmes que procuro na internet, e nada mais. No começo, até me animava levar esses HDs externos na mochila nas viagens de cobertura de eventos. Afinal de contas, vai que eu preciso daquele software que é impossível de fazer o download no local, naquele momento. Com o passar do tempo, você percebe que você sempre precisa daqueles mesmos programas para trabalhar: editor de texto, editor de blogs, editor de imagens, publicador, etc. Ou seja, a caixinha que armazena os seus instaladores se torna apenas um peso a mais para você levar nas costas.

Outro detalhe a ser observado: o mundo está na nuvem. Com recursos como o Google Drive e o Dropbox, você pode manter os seus arquivos online para serem acessados, na pior das hipóteses, pelo seu smartphone. Em qualquer lugar que você estiver do mundo, você pode ter um acesso à internet minimamente razoável (bom, quero dizer, isso também vai depender da sua operadora de telefonia móvel, claro). Muita gente optou por pagar por essas soluções porque são tão eficientes quanto HDs externos, mas com maior praticidade e preço muito menor. Tudo bem, tem aqueles que ainda não confiam no armazenamento em nuvem por completo. Para eles, um backup “físico” ainda é necessário. Mas, convenhamos, você não vai fazer isso em DVDs que podem se perder ao longo dos anos, certo?

Em um mundo onde as conexões de internet estão cada vez mais rápidas (na teoria; no Brasil, isso ainda demora um pouco, você sabe…), mesmo que ainda falta muito para que a velocidade seja a ideal como gostaríamos que fosse, armazenar um arquivo de 200 MB na rede, ou fazer o download desse mesmo arquivo, ou até reproduzir um vídeo por streaming se tornou algo relativamente simples. Antigamente, se você queria transportar um vídeo de um lugar para outro, ou até mesmo um arquivo que era grande demais para caber em um pendrive, você tinha que gravar esse arquivo em um CD ou DVD e entregar o material para seu amigo, para que aí sim ele pudesse utilizá-lo. Hoje, você pode fazer o upload desse arquivo em poucos minutos, e fazer o download desse mesmo arquivo em segundos.

O que falta ainda é a maioria das pessoas que não estão familiarizadas com tal tecnologia. Falta para os meus pais, que mal aprenderam a usar o Facebook, e ainda não conseguem buscar uma informação no Google com eficiência, entenderem que não é uma loucura enviar alguns arquivos para uma área comum na internet, para que outros possam fazer o download (como, por exemplo, as fotos das férias deles). Para eles, ainda é muito mais simples (ainda) perder um CD ou DVD, ou em alguns casos, gravar tudo em um pendrive para fazer o transporte desses arquivos. Mas, como tempo, como acontece com tudo nessa vida, a “nuvem” começará a ser utilizada como único meio de transmissão de arquivos.

Está claro que falo aqui no caso de dados de usuários domésticos. Os grandes servidores que prestam serviços online seguirão necessitando de áreas específicas para suas cópias de segurança, mesmo que, inclusive, isso seja apenas para os mais importantes dados dos seus servidores. Uma pequena empresa, tranquilamente, poderá fazer os seus backups em um servidor externo, como o Google ou o Dropbox.

Todavia, ainda falta para os usuários as velocidades de conexões mais velozes para que a “nuvem” seja predominante. Se temos um arquivo de 2 GB de dados (como a trilogia de filmes “O Poderoso Chefão”, por exemplo), fazer um download desses arquivos deveria levar vários minutos em um cenário ideal, e não várias horas, como acontece hoje. Seja como for, para pequenos arquivos, eu já deixei de utilizar o pendrive a algum tempo para armazená-los. Se eu vivesse na Suécia ou em Kansas (EUA), onde o projeto Google Fiber faz a alegria dos moradores da cidade, já estaria fazendo uma fogueira de todos os meus dispositivos externos de uma vez por todas.

Fujitsu fabricará laptops com o plástico de seus CDs velhos

by

Para você, eles só servem para nivelar as mesas. Para a Fujistu, eles serão matéria prima para fabricar os seus novos portáteis. Os quase esquecidos CDs e DVDs encontraram um novo propósito nas fábricas da gigante japonesa, uma vez que eles iniciaram o seu programa de reciclagem de discos óticos, graças ao qual vai recuperar o seu plástico para fabricar notebooks, começando pelo novo Lifebook P722/E.

Segundo a Fujitsu, a escolha desse material vai permitir a redução do consumo do plástico em até 10 toneladas por ano, e cortar a emissão do CO2 em 15%. Tais números podem fazer com que até o preço final do produto caia um pouco. Viu como valeu a pena guardar aquele monte de CDs que estão entulhados na sua casa?

Via Engadget

Review | Samsung Optical Smart Hub SE-208BW

by

Recebemos para testes um periférico com proposta muito interessante. O Samsung Optical Smart Hub é o que podemos chamar de “periférico polivalente”, pois apesar de parecer ser apenas uma bonita unidade de CD/DVD externo para o seu netbook ou ultrabook (me encaixo no segundo caso), ele vai além disso. Ele é um dispositivo bem completo para os recursos de conectividade sem fio, tanto para reprodução de conteúdo, backup de arquivos e até repetição de sinal de internet sem fio de sua residência. Nesse review, vamos conhecer o produto em detalhes, mostrando todas as impressões possíveis obtidas após esse período de avaliação.

O tamanho da caixa anima… para quem gosta de caixas grandes, é claro. Mas não poderia ser diferente. Como o produto é relativamente grande (do tamanho dos antigos discmans), vem com uma série de acessórios (fonte, cabo USB, manuais e CD de instalação) e é relativamente sensível, precisa vir bem acondicionado mesmo. Mas, veja bem: sensível, nesse caso, não quer dizer que ele é frágil. Mas, entenda: é uma unidade ótica como outra qualquer. Logo, requer os seus cuidados.

Senti falta de um controle remoto para operar o produto na TV, principalmente para quem não tem uma TV da Samsung. Mas esse é um detalhe que pode ser minimizado com os controles virtuais para os dispositivos com iOS e Android. Facilitaria a vida dos usuários menos experientes a presença de um pequeno controle remoto. Mas, enfim, isso é o de menos.

Felizmente, a fonte do Samsung Optical Smart Hub é de encaixe, ou seja, se algum dia você fizer uma viagem internacional, e precisar aproveitar dos benefícios do produto, pode simplesmente comprar um adaptador de tomada extra, e os seus problemas estão resolvidos.

Ah, o “ótimo” padrão de tomadas brasileiro… mas sem o famigerado pino terra.

O produto possui um design bonito e elegante, mas como vocês já podem imaginar, esse acabamento em black piano é um verdadeiro imã para marcas de dedo. Aqui, vai a dica: deixe junto com os itens do produto na hora do seu transporte uma pequena flanela. Você vai precisar.

Mas, por outro lado, o Samsung Optical Smart Hub é leve o suficiente para ser transportado junto com o notebook sem aumentar muito o peso final da sua mochila ou pasta. Mesmo porque, se sua intensão é utilizá-lo com o computador portátil enquanto estiver viajando para ver vídeos e gravar arquivos em disco, nem da fonte você vai precisar. Agora, se a necessidade for utilizar o periférico para atuar com as funções de streaming e conexões sem fio, leve a fonte com você, pois ela é necessária para que tais recursos fiquem ativos.

De modo geral, se você tiver um ultrabook Serie 5 da Samsung, ou um outro ultrabook de qualquer outra marca, ele deve fazer um conjunto bem interessante na sua mesa de trabalho. E digo isso não só por causa da parte estética, mas também por causa do desempenho do produto.

Aqui está um dos trunfos do Optical Smart Hub. Os quatro LEDs de atividade, que indicam (na ordem, da esquerda para a direita): conexão ADSL, conexão WiFi, periférico USB e LED de power. Nos testes, quando conectamos o cabo de internet (para ativar a função de repetidor de sinal de internet), o WiFi começou a trabalhar automaticamente, mas para concluir a sua configuração, você precisa fazê-lo em seu computador, tal como em qualquer roteador existente no mercado. E acreditem, tal configuração não é nada simples.

Não bastando todo o guia rápido do produto estar em inglês, são necessários pelo menos três etapas de configuração do WiFi e da internet no produto. Para usuários experientes, isso não é problema, pois apesar do trabalho de ter que colocar todas as especificações de rede e do próprio produto (uma por uma), isso é feito uma vez só e o problema se resolve. Porém, para usuários iniciantes, só com a ajuda do usuário experiente. Ou do sobrinho, que “mexe no computador de casa” (mas aí o estrago vai ser maior). Recomendo que, ao comprar o produto, se realmente quiser que todos esses recursos funcionem de forma plena, dê uma boa lida no guia rápido, e que anote previamente todos os dados que o software de configuração vai solicitar. Se você for no passo a passo, com calma, não vai ter erros.

Parte frontal do Optical Smart Hub, que conta com o botão de ejeção da gaveta para inserção de mídia, e do tradicional buraco para forçar a ejeção da gaveta, caso ela fique emperrada. Foi uma boa escolha a alternativa de usar o sistema de gaveta, pois economiza espaço final do mesmo, deixando o periférico mais compacto e prático no manuseio.

Gaveta de mídia ejetada. Sem muitos comentários nesse ponto do review…

Por fim, a visão geral da parte traseira do produto: conector USB, botão de reset para configurações, porta mini USB, porta para conexão Ethernet e conector de energia.

Bom, agora vem a pergunta capital: o que esse produto pode fazer por você?

A resposta, a seguir.

Por uma questão de comodidade, utilizei o iPhone 4 para os testes mais objetivos com o Samsung Optical Smart Hub. De fato, como o principal objetivo dele é fazer o streaming de conteúdo para outros dispositivos, entendi que fazer a transmissão de arquivos de vídeo para uma TV da Samsung seria moleza, graças ao DLNA (e acreditem, foi muito mais fácil do que vocês possam imaginar: instalou, colocou o DVD, a TV já saiu identificando o periférico; aí, é só identificar o tipo de mídia e dar o play). Também poderia usar ou o Galaxy S II, ou o Galaxy Nexus para fazer os testes, mas o fator “compatibilidade” também prevaleceria. Por isso, o iPhone foi a escolha natural.

Mas se você pensa que houve dificuldades ao utilizar o produto da Samsung em um dispositivo Apple, mude seus conceitos. Basta você instalar o software Mobile Smart Hub (disponível na App Store e na Google Play), que a interação com o Samsung Optical Smart Hub se torna bem simples. O aplicativo reconhece automaticamente qual dispositivo está ativo, e faz a conexão de modo sem fio, através da rede WiFi. Assim como outros produtos do gênero, a qualidade final do streaming vai depender de alguns fatores, como a fonte do arquivo utilizado, resolução do arquivo e a quantidade de obstáculos que vai interferir nesse sinal. Mas os resultados são satisfatórios na maioria das fontes testadas.

São quatro funções principais no aplicativo do Mobile Smart Hub (DVD Player, Video Player, Music Player e Audio CD Player), além dos recursos de Photo Backup, Smart Backup e File Manager. Ou seja, as principais funções do dispositivo podem ser controladas pelo seu smartphone ou tablet, na comodidade da sala de sua casa ou escritório. Todos os itens do menu são facilmente acessados com um simples clique, e com poucos passos, você pode dar o player no arquivo de vídeo armazenado no seu HD ou no DVD inserido na unidade.

O player de DVD tem as funções básicas para uma boa reprodução. A imagem fica ajustada à resolução do formato da tela do dispositivo a ser reproduzido, e como vocês podem observar, o filme não é dividido em capítulos, com sua reprodução de modo contínua, durante a exibição do filme. Você pode escolher os capítulos em separado, de forma individual, mas não saltar para um capítulo em específico durante a reprodução do filme. Mas aí também é pedir demais do aplicativo, que foi feito para realizar a reprodução básica.

Não encontrei nas configurações de reprodução de vídeos alguma função que alterasse a cor e o tamanho da fonte da legenda. Não que esse padrão não seja visível, mas aqueles que já estão acostumados com as legendas com preenchimento amarelo e bordas em preto certamente vão reclamar. Afinal de contas, liberdade de opção vem sempre a calhar. Mas, de novo, estamos falando de um aplicativo para dispositivo móvel e não de um software para computador ou media center. Logo, vamos dar um desconto nessa parte.

Um ponto positivo do aplicativo é que, tal como em um player de DVD convencional, você pode escolher o idioma de legendas e áudio do filme, tal como você faria no home cinema da sua casa, ou no computador. Nesse quesito, ponto para o Mobile Smart Hub.

Por ele contar com um gerenciador de arquivos, você pode manusear todo o conteúdo multimídia que está em seu dispositivo, na unidade de mídia (CD/DVD) ou na unidade USB (pendrive/HD). É uma mão na roda na hora de buscar um determinado vídeo, foto ou música. Porém, a reprodução desses arquivos é mais prática e imediata se for feita através dos seus respectivos itens dentro do aplicativo.

Porém, o grande pecado do Samsung Optical Smart Hub é ele contar com uma porta USB 2.0. O ideal aqui seria uma porta USB 3.0, que sem dúvida facilitaria e muito o processo de leitura dos arquivos em um HD. Se você tem um grande volume de dados, e sua conexão WiFi não for das melhores, o sofrimento pode ser grande, e a reprodução se tornar uma experiência nada prazerosa.

Nos nossos testes, a reprodução de arquivos em alta definição só foi possível quando estive no mesmo local que o dispositivo, o que não é perto do ideal. Quando armazenados em pendrives, pela própria característica de maior velocidade de leitura de arquivos, a reprodução obteve resultados mais satisfatórios. Mas o formato mais eficiente mesmo foi quando utilizamos a unidade de mídia (CD/DVD) para reprodução de filmes e músicas em MP3. Pelo produto estar preparado para isso, o streaming foi bastante satisfatório na maioria dos testes realizados, e em qualquer ambiente.

Por fim, o Samsung Optical Smart Hub está APROVADO. Pela sua proposta de portabilidade, ele pode ser um bom companheiro de suas viagens, aumentando sua produtividade e, de quebra, o seu entretenimento. Também pode ser um interessante complemento para aqueles que possuem uma TV da Samsung com conectividade DLNA, facilitando assim a reprodução de diferentes formatos de mídia, de diferentes fontes.

Alguns detalhes do produto poderiam ser melhorados em versões futuras, principalmente no caso da porta USB, que precisa ser 3.0 na próxima versão do dispositivo. Afinal de contas, o que o usuário mais deseja nesse tipo de dispositivo é agilidade na hora de reproduzir os seus conteúdos armazenados em HDs e pendrives.

Tectoy lança DVD de mesa compacto, com entrada USB, função ripping e preço competitivo

by

A Tectoy aposta no mercado de entretenimento eletrônico com uma aposta popular. O DVD player Compact DVT-C101 chega ao mercado brasileiro com o objetivo de ser o melhor custo/benefício do mercado.

O modelo se destaca inicialmente pelo reduzido tamanho, que permite a instalação em qualquer lugar, podendo ficar discretamente posicionado na sala de sua casa ou escritório. Além disso, o produto conta com a função Consumo Zero, que evita o consumo de energia ao manter o aparelho totalmente desligado quando não está em uso, conexão de vídeo composto e áudio estéreo, e função ripping, que permite a cópia de arquivos de mídia para um pendrive, através da porta USB do aparelho. O modelo também permite a leitura de arquivos de vídeo, áudio e imagem em diferentes formatos.

Preço sugerido de R$ 99,00.

Via Assessoria de Imprensa

Novo DVD player da Sony, DVP-SR320, possui entrada frontal USB para reprodução de conteúdos multimídia

by

DVP-SR320

A melhor qualidade em áudio e vídeo. Design moderno e ultracompacto. Além, é claro, de um dos custos mais acessíveis do mercado – apenas R$ 139,00. Esse é o DVP-SR320, novo DVD Player da Sony que reproduz vídeos, músicas e fotos armazenadas em mídias convencionais, como DVDs e CDs, ou dispositivos USB.

O equipamento é compatível com diversos formatos de arquivos, entre eles Xvid, MPEG-1 e MP4 (vídeo); MP3, WMA, AAC e LPCM (música); JPEG (foto). Possui processadores de áudio Dolby Digital e DTS, saída de Vídeo Composto, além de saídas de áudio Digital Coaxial e Analógica.

O preço sugerido para o DVP-SR320 é de R$ 139. O DVD Player pode ser adquirido em todas as revendas autorizadas do país ou nas SonyStyle Store do Shopping Cidade Jardim e Bourbon Shopping Pompéia (São Paulo), Park Shopping (Brasília), BarraShopping (Rio de Janeiro), Salvador Shopping (Salvador) e BarraShoppingSul (Porto Alegre).

via assessoria de imprensa

[Dicas de Compras] Micro System com DVD Philips MCD236 é uma boa opção de central multimídia

by

Diversão e entretenimento em um só aparelho. Sua casa vai se transformar em um cinema com o Micro System com DVD MCD263 Philips. Desenvolvido com design moderno e alta tecnologia ele possui Dolby Virtual Speaker para uma experiência de cinema, saída de vídeo HDMI de até 1080p, 60W de potência, USB Direct para fotos e reprodução de músicas MP3/WMA, e ainda reproduz DVD, DivX Ultra, (S)VCD, CD de MP3/WMA (RW) e Foto CD. Com ele você se diverte ouvindo músicas, notícias e vendo filmes e vídeos.

Especificações Técnicas

-Composição: Plástico
– Mídias de reprodução: Mídia de reprodução: CD, CD-R, CD-RW, CD de MP3, CD de WMA, Mídia de reprodução: DVD-Vídeo, CD/SVCD de vídeo, DVD+R/+RW, DVD-R/-RW, DivX Ultra
– Impedância: 4OHMS
– Sensibilidade: Sintonia Digital Automática
– Canais: 2
– Display: Digital
– Gavetas para disco: 1
– Consumo: 25W
– Cor: Preto
– Idiomas: Português, Inglês e Espanhol
– Tipo de caixa acústica: Caixa acústica principal: Alto-falantes Bass Reflex, Woofer de 4 polegadas, Caixas acústicas integradas: 2
– Memória para emissora de rádio: 20 emissoras
– Potência: Potência de saída (W RMS): Potência total de 60 W RMS
– Conexões: Aux in: 3,5 mm (MP3 Link), Fone de ouvido: 3,5 mm, Outras conexões: Antena FM, Saída HDMI, Saída do subwoofer, Saída de vídeo – Analógica: Componente Y Pb PR USB: Host USB e Saída de AV: 1 plugue ext. de 3,5 mm

Preço: R$ 699,00

Sony reduz o preço do Home Theater com DVD DAV-TZ130 no Brasil

by

A Sony Brasil anuncia que o Home Theater com DVD DAV-TZ130, passa a ser comercializado por R$ 599,00. O modelo, que já era apontado como o mais barato da Sony, tornou-se ainda mais atraente ao oferecer, por um custo acessível a todos os consumidores, recursos com qualidade semelhante à encontrada em equipamentos de primeira linha.

Com design slim, 5.1 canais e potência total de 300W RMS, o DAV-TZ130 reproduz conteúdos com qualidade garantida pelo Upscaling de DVD, recurso que converte sinal do DVD convencional de 480p para 720p /1080i/1080p, aprimorando a reprodução de vídeo em TVs de alta definição. O equipamento é compatível com formatos Divx, MPEG4, músicas nos formatos MP3, WMA, AAC e fotos JPEG com o uso da entrada USB frontal.

Todos os produtos podem ser adquiridos pelo site www.sonystyle.com.br, nas SonyStyle Store do Shopping Cidade Jardim e Bourbon Shopping Pompéia (São Paulo), Park Shopping (Brasília), BarraShopping (Rio de Janeiro), Salvador Shopping (Salvador) e BarraShoppingSul (Porto Alegre) ou nas revendas autorizadas Sony.

via assessoria de imprensa

Elgin apresenta gravador externo de DVD e Blu-ray, o BD-01E

by


A Elgin Info Products – divisão de produtos de informática da Elgin – segue ampliando seu portfólio e lança para o consumidor final o Gravador e Leitor de Blu-Ray Externo da Elgin, o BD-01E. A novidade se destaca por ser um gravador de Blu-Ray, DVD e CD compacto, leve e com alimentação de energia via USB.

Com design moderno, o BD-01E traz um drive ultra fino e é fabricado em case de alumínio. Suporta vários tipos de mídia e está disponível na cor preta. Outro destaque do produto é a interface SATA e a alta tecnologia e rapidez na transferência de dados. O aparelho possui capacidade de memória buffer de 2MB.

O Blu Ray BD-01E da Elgin suporta vários formatos de mídia como: BD-R, BD-RE, DL BD-RE, DVD-R, DVD-RW, DVD+R, DL DVD-R, DVD+R DL, DVD+RW,DVD-RAM, CD-R, CD-RW, BD-ROM, DVDROM e CD-ROM.

As dimensões do produto são: 13,5X2,0X13,7 cm e pesa aproximadamente 350g.

As transferências máximas de leitura são: BD – 2X / DVD – 8X / CD – 24X e de gravação são BD-R: 6X / BD-RE: 4X / DVD-R: 8X , DVD-RW: 4X / DVD+R: 8X / DL DVD-R: 4X/ DVD+R DL: 4X / DVD+RW: 4X / DVD-RAM: 5X/ CD-R: 24X / CD-RW: 16X. Acompanha o produto: Cabo USB, CD de instalação, manual e certificado de garantia.

via assessoria de imprensa

O Exército dos EUA proíbe os sistemas de armazenamento móveis de forma definitiva

by

Como você bem sabe, o vazamento de dados preocupa e muito o Exército dos Estados Unidos, e isso resulta em um verdadeira cruzada contra os pendrives e demais dispositivos de armazenamento (CDs e DVDs). Assim, o general Richard Webber deu uma ordem onde veta de forma imediata o uso de sistemas de armazenamento móveis em todos os sistemas e servidores. A medida não iria sair de graça aos militares, que poderão ver prejudicadas muitas de suas missões. Porém, fica a dúvida de como os telefones móveis, smartphones e palmtops ficam nesse assunto, já que também são dispositivos de armazenamento móvel. Saberemos disso com o tempo.

Fonte

Multilase apresenta o Mirage Power, seu GPS automotivo com DVD player

by

A Multilaser lança no país o Mirage Power, uma novidade que leva para o interior dos automóveis o máximo de praticidade e o melhor do entretenimento.  Com tela de 4,3” touchscreen, o lançamento é um GPS que também pode ser utilizado como DVD Player e rádio com memória para até 30 estações. Destaca-se ainda por ser de grande ajuda na hora de estacionar, já que possui entrada para a conexão de câmera de ré (acessório não acompanha o produto).

O aparelho tem painel com rebaixamento motorizado, saídas de som com alta potência, de 40 W(4x), subwoofer, e proteção anti-shock. Vem ainda com controle remoto e conta com entradas AV, USB e para cartão de memória SD. A novidade utiliza software Sygic e oferece completo mapa Tele Atlas, lista de radares e receptor de alta sensibilidade. Além disso, outros destaques são as respostas rápidas e o preço extremamente competitivo. O GPS Power oferece várias facilidades, como instruções de voz passo a passo em português e indicação digital de velocidade. São cobertas pelo aparelho 235 cidades do país com mapas de alta precisão e ainda há 5.000 mapas de referência de outras localidades e 370 mil pontos de interesse registrados. Trata-se de um dos poucos modelos do mercado com os mapas das cidades totalmente interligados pela malha rodoviária nacional. São cobertas pelo GPS as principais cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul, Bahia, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Paraíba, Rondônia, o Distrito Federal, entre outras localidades. Preço sugerido de R$ 899,00.

via assessoria de imprensa

 

Elgin apresenta o DVD-01E, sua unidade de DVD e CD portátil para PCs

by

A Elgin Info Products – divisão de produtos de informática do grupo Elgin – sugere para netbooks e computadores pessoais, o gravador e leitor de DVD e CD externo DVD-01E. Compacto, leve e fácil de usar, o modelo apresenta um drive ultra fino de 12,7 mm envolvido por um case emborrachado para proteger e aumentar a durabilidade do produto.

Com interface USB, o equipamento da ELGIN não precisa de alimentação externa, ou seja, não precisa ficar ligado à tomada durante o uso. Pode ser transportado para todos os lugares; A velocidade de gravação de dados do modelo é a seguinte: CD-R/RW/ROW 24X; DVD ±R/ROM 8X; DVD ±R/ RW 4X; DVD± R (camada dupla) 2.4X. O produto está disponível na cor preta e vem acompanhado de cabo USB. O preço médio sugerido é de R$229,00.

via assessoria de imprensa

[Dicas de Compras] O Home Theater XB 1536 da Semp Toshiba vem com DVD, USB e Karaoke, para te oferecer ainda mais diversão

by

Além de potência e qualidade de som, o Home Theater XB 1536 da Semp Toshiba oferece alguns diferenciais que são sempre bem vindos. Além de já vir com um DVD player, ele é compatível com arquivos MP4 (ou MPEG4), visualizador de imagens JPEG em CD, rádio AM/FM integrado, sistema de som de 300w RMS, sistema de delay de som para otimização do efeito sonoro, entrada USB frontal e função karaoke, para aqueles que gostam de soltar a voz depois do churrasco do domingo. Um produto bem completo para quem quer aumentar o seu entretenimento na sala de casa. Preço: R$ 999,00.

[Dicas de Compras] Micro Theater com DVD da Philips, o MCV263/55, com design moderno e muitas funcionalidades

by

O Micro Theater com DVD Philips MCV263/55 tem um design elegante, pode ser montado na parede e ainda oferece uma experiência de cinema em casa sem complicação. Com tecnologia Dolby Virtual Speaker e saída de vídeo HDMI de até 1080p, ele proporciona som surround e imagens nítidas com qualidade de cinema. O Dolby Virtual Speaker é uma sofisticada tecnologia de virtualização de áudio que produz um som surround rico e envolvente, gerado por duas caixas acústicas. A reprodução de DVD é aprimorada pela expansão do ambiente de dois canais. Quando combinada com o processamento Dolby Pro Logic II, qualquer origem de áudio estéreo de alta qualidade é transformada em um som surround multicanal real.

Ele conta com HDMI 1080p para imagens com alta definição e mais nítidas: o aprimoramento HDMI 1080p fornece imagens extremamente nítidas. Filmes em definição padrão agora podem ser assistidos em verdadeira resolução de alta definição, garantindo mais detalhes e mais imagens realistas. O Progressive Scan elimina a predominância da estrutura linear em telas de TV possibilitando imagens implacavelmente nítidas. Seu controle de som digital oferece uma série de controles predefinidos – Jazz, Rock, Pop ou Clássica – que você pode usar para otimizar as faixas de freqüência para diferentes estilos musicais. Graças ao controle de som digital, você obtém o melhor da sua música, pois ele ajusta com precisão o balanço do som para corresponder ao tipo de música reproduzida. Conta com saída de 60W RMS fornecem o máximo aprimoramento de graves em volume alto sem distorcer o som e sem prejudicar as freqüências mais graves em volume baixo. O desempenho é otimizado independentemente do volume escolhido. Isso sem falar na sua porta frontal motorizada deslizante acrescenta ainda mais estilo ao design elegante deste sistema. A porta funcional e moderna do compartimento de disco desliza suavemente para cima e para baixo com o toque de um botão sempre que você quiser mudar a seleção de músicas. Preço: R$ 899,00.

Panasonic lança no Brasil o DVD Theater PT580, aumentando as possibilidades de som e imagem

by

Para quem já conta com uma HDTV em casa, e quer ter uma experiência ainda mais completa na hora de assistir TV, a Panasonic lança para o mercado brasileiro o DVD Theater PT580, que é prático e visa aumentar a experiência do usuário, com caixas acústicas em 5.1 canais, para você desfrutar de um efeito surround.

Ele conta com um sistema chamado Made for iPod/iPhone, que permite que os usuários possam conectar os aplicativos sem cabos, pois o PT580 é totalmente integrado às funções dos players da Apple, permitindo que o usuário veja os arquivos de filmes e séries armazenados no portátil diretamente na tela da TV. Ele conta com cabo HDMI incluso, e através desta conexão, o sinal recebe um upscalling digital para a resolução 1080p. Além disso, ele conta com o recurso Audio Return Channel (ARC), que permite que o som da TV saia nas caixas acústicas do Home Theater através de um único cabo HDMI.

O PT580 conta também com entrada USB, que permite que o usuário acesse conteúdos multimídia de HDs externos, MP3 players ou pendrives. Seus amplificadores são outro destaque. Para cada caixa frontal e cada caixa surround, há um amplificador de 125 watts de potência RMS. A caixa central e o subwoofer contam com um amplificador de 250 watts RMS cada, totalizando 1.000 watts RMS de potência de som, no modo Dolby Digital. Preço: R$ 1.199,00.

via assessoria de imprensa

[dvd player] DVD player portátil da Audiovox DFL 710. Filmes e TV paga em qualquer lugar

by

Nada como ver seus filmes e seus eventos esportivos (ou suas séries, ou sua novela, ou…) em qualquer lugar. Este aqui foi visto na última CES em janeiro, e apareceu como uma grande alternativa para quem quer ter entretenimento em qualquer lugar. Porém, de lá pra cá, nada mais foi dito. Até agora. A Audiovox anunciou que o seu DVD player portátil DFL 710 já está disponível para compra (lá fora).

O produto tem tela de 7″, e pode rodar os seus discos de DVD que você tem em casa, além do serviço de Flo TV, que é um sistema de TV por assinatura que oferece programas infantis, esportivos e de notícias. Para quem comprar o produto, leva três meses de serviço Flo TV de graça. Depois disso, deve assinar o serviço. O produto está à venda por US$ 200 @ Best Buy.

Fonte

[som e imagem] Meridian anuncia sua cental multimídia M80

by

O Meridian M80 é uma central multimídia de alta fidelidade, que chega para substituir o modelo F80, lançado em 2008. Apesar de ser uma evolução, ele ainda não vem com compatibilidade com o Blu-ray, nem suporte para rádio online, se limitando a trazer apenas um leitor de CD/DVD, rádio AM/FM, dock para iPod, além de diversas entradas analógicas de digitais (mas sem HDMI). Preço: US$ 2.995. muito caro para um produto que tem limitações e não é compatível com o Blu-ray que você tem em casa. Tem produtos melhores, com mais recursos e preços mais atraentes.

Fonte

[Dicas de Compras] DVD Player DV4S2H da LG, com HDMI, USB e Touch Sensor (com cabo HDMI)

by

Eu sei, eu compreendo. Nós estamos na era do Blu-ray, e cada vez mais as unidades híbridas de Blu-ray com DVD estão ficando mais baratas. Mas este DVD player da LG me chamou a atenção pelo seu design, que é ideal para quem quer um produto diferenciado, e mostrar que tem estilo na sala de sua casa. O DVD Player DV4S2H da LG, além de ser moderno e elegante, ele é versátil, pois conta com três modos de instalação, para se adaptar a qualquer tipo de ambiente. Tem porta slide automática para abertura do compartimento de disco e USB lateral para pendrives e MP3 players.

Ele reproduz os seguintes formatos: DVD, DivX, Áudio CD, CD-R, CD-RW, MP3, DVD-R, DVD-RW, DVD+R, DVD+RW, MPEG4, MPEG4 HD, WMA, JPEG, Mini DVD e Dual Disc. Conta com Progressive Scan, resolução de vídeo de até 1080 x 720 e, de quebra, vem com o cabo HDMI, para reprodução em TVs de LCD e Plasma com a maior qualidade possível. Bom, isso tudo o credencia como um produto para, pelo menos, ser considerável na hora da compra.