Apesar de acontecer um mês antes do evento principal de mobilidade no primeiro semestre (a Mobile World Congress), a CES 2013 tem todo o potencial para antecipar os principais lançamentos no segmento de tablets, mostrando modelos ainda mais potentes.

Em um espaço dedicado à tecnologia de consumo, a CES ainda é o melhor lugar para mostrar o que está por vir, e o evento do próximo mê de janeiro não será diferente. Com uma grande quantidade de rumores surgindo nas últimas semanas (e que vão surgir durante as festas de final de ano), não dá pra saber quais são os tablets que serão anunciados durante a CES 2013. Entretanto, se olharmos mais de perto para as principais tendências, não é muito difícil de traçar um sólido cenário de possibilidades.

O mesmo tamanho, mas mais barato

Com modelos custando US$ 199 como parâmetro e sinônimo de sucesso no segmento (vide o Nexus 7 e o Kindle Fire), os consumidores enviam uma mensagem muito clara para os fabricantes: queremos produtos baratos, com um bom hardware, e protegidos com um design minimamente atraente. Felizmente, parece que os fabricantes começam a receber esse mercado de forma clara, e oferecer produtos com essas características. Tá, em alguns casos eles não alcançam o número mágico de US$ 199, mas são muito bons, como o caso do Nook HD+ (US$ 269) e até mesmo o Nexus 10 (US$ 399). O desafio dos fabricantes agora é oferecer mais qualidades, mas com um preço competitivo.

Particularmente, acredito que o tamanho de 7 polegadas será o padrão para o mercado de tablets. Esse tamanho poderá variar para, no máximo, 10 polegadas, e não mais do que isso. Acima disso, é uma aposta de risco. Exemplo da Toshiba, que nesse ano lançou o Excite 13, mas em pouco tempo foi descontinuado por causa das baixas vendas. Não acredito que tablets com esse tamanho de tela tenham espaço significativo hoje.

Mais píxels!

O Nexus 10, o iPad e o Nook HD representam a tendência de um aumento de densidade de píxels dos tablets. A tendência é que isso continue em 2013. É claro que algum fabricante, em algum momento, pode aparecer com um tablet mais barato com 7 polegadas de tela e resolução abaixo de 1280 x 800, mas acredito que os grandes fabricantes do setor vão mesmo investir em telas com resolução de 1920 x 1200 (ou mais), e não olhar para trás nesse aspecto. Até porque se existe uma coisa onde os tablets podem evoluir é justamente na sua resolução e densidade de píxels na tela.

Processadores mais rápidos (por favor!)

O processador mais rápido para dispositivos Android (na teoria) é o Samsung Exynos 5250, que hoje está presente no Nexus 10. É um processador poderoso, ultrapassando com alguma sobra todos os demais processadores presentes em tablets Android. Entretanto, por mais rápido que o Exynos é, se eu me basear pela minha própria experiência pessoal com tablets Android, ele ainda não pode competir com o poder de fogo presente no A6X presente na quarta geração do iPad da Apple.

Então, eu espero que não apenas novos tablets sejam anunciados durante a CES 2013, mas também novas CPUs (o Tegra 4 já está sendo rumorado a alguns meses, por exemplo), justamente para que os equipamentos se aproximem cada vez mais em termos de performance do produto que ainda é considerado até hoje como referência no segmento de tablets: o iPad.

Na verdade, podemos esperar mais do segmento de tablets na CES 2013. É o produto mais desejado no mercado global nesse Natal, e isso não deve mudar tão cedo. Muitos estão substituindo os seus computadores e notebooks por tablets para as atividades mais simples, como acesso à internet, jogos, redes sociais e e-mails, por ser um produto mais barato, com maior poder de mobilidade e com uma tela um pouco maior que o smartphone que hoje essas pessoas levam no bolso. Logo, acredito que a indústria de tecnologia vai seguir investindo durante um bom tempo nessas cobiçadas peças de tecnologia de consumo.