Quando você ler este post, os primeiros iPads devem estar sendo preparados para ser entregues aos primeiros compradores norte-americanos. Mas alguns veículos de mídia (infelizmente, o TargetHD.net ainda não chegou neste ponte) receberam algumas unidades do produto com antecedência, para que análises pudessem ser feitas. David Pogue, do New York Times, testou o tablet da Apple, e ainda que ele não traga nenhuma novidade ou não dê informações mais controvérsias, ele confirma que o dispositivo funciona tão bem quanto Steve Jobs sonhava.

Pogue diz que há duas características a serem ressaltadas no iPad: a primeira tem a ver com a duração da bateria, ainda que a Apple dice que ofereceria até 10 horas de autonomia, em seus testes, ela durou 12 horas, reproduzindo filmes, um atrás do outro. Além disso, deve se destacar que os mesmos aplicativos que fizeram o iPhone popular é o que há de mais importante no tablet. Como era de se esperar, um software desenvolvido especificamente para o iPad funciona melhor que os aplicativos para iPhone, o que não quer dizer que aplicativos de smartphone não funcionem bem no tablet.

Na análise do New York Times, fica claro que o iPad é um dispositivo caro, com opções limitadas. Pagando menos, você pode comprar um netbook ou notebook com maiores possibilidades. Porém, a experiência que o usuário vai ter com o iPad é impossível de ser imitada por outro produto. Eles concluem que o iPad foi desenvolvido e construído para usuários perfeccionistas. Para quem gosta do conceito Apple de fazer as coisas, o iPad é encantador. Ou seja, o iPad não é o produto perfeito para todos, mas terá muitos fãs por aí.

Você pode ler a análise completa de David Pogue clicando aqui