windows-10-mobile-lumia

Segundo o Windows Central, o Surface Phone chegaria ao mercado em 2017 com três variantes, encerrando assim a linha Lumia.

A Microsoft tem um grande problema a ser resolvido com o setor de smartphones. Sua cota de mercado segue caindo rapidamente, ficando abaixo de 2%, algo impensável para a maior produtora de software do planeta. O lançamento do Windows 10 Mobile foi mais destacado pela ausência dos dispositivos compatíveis com o software do que por suas melhoras, e as pessoas não se animam a comprar um smartphone com Windows.

Tudo só piorou quando na BUILD 2016 o Windows para smartphones ficou de fora, e com a confirmação de Terry Myerson (vice-presidente executivo) de que os smartphones “não são a prioridade da Microsoft em 2016”.

Agora, temos a informação (não confirmada) sobre o Surface Phone, linha de smartphones que é especuladas desde o lançamento do Surface Book. As três variantes teriam os seguintes focos: consumo, empresas e entusiastas.

 

Adeus, Lumia?

Surface-Phone

A chegada do Surface Phone promoveria o fim progressivo da linha Lumia. Não há modelos novos preparados para 2016, e a Microsoft estaria retirando pessoal e recursos de desenvolvimento dessa série. A ideia aqui seria recuperar parceiros OEM para o Windows 10 Mobile, uma vez que a linha Lumia abraça 97% de todos os smartphones vendidos com o software da empresa.

A Microsoft mudaria a estratégia adotada pelos tablets Surface, que se tornaram referência nos ultra-portáteis e 2 em 1, cujo conceito foi adotado pelos parceiros OEM e até adversários, como a Apple (olá, iPad Pro). Desse modo, o Surface Phone estaria destinado a ser um dispositivo para abrir mercado, e não obter vendas massivas. O restante do trabalho será feito pelos parceiros que abraçarem a plataforma, que serão imprescindíveis para recuperar o mercado.

Como será um Surface Phone?

HP Elite X3-05

Já vimos no HP Elite x3 como é impressionante ter um bom smartphone com Windows 10 voltado ao mercado profissional, centrado na produtividade e segurança, mas sem perda de desempenho.

O Surface Phone não deve mudar muito no seu design em relação aos modelos Lumia top de linha, como o Lumia 950. Será grande, potente, com tecnologias avançadas, grande bateria, câmeras de qualidade e suporte avançado para um lápis ótico da Wacom para criar a plataforma Universal Pen Framework (UPF).

O Continuum será outro elemento chave. A ideia da Microsoft seria oferecer um ‘PC de bolso’, que pode se transformar em um computador tradicional ao se conectar a um perifécio. Os aplicativos universais do Windows 10 serão imprescindíveis para essa estratégia. Não sabemos se a aposta de hardware segue com a arquitetura ARM ou se opta pelos chips Intel, ou outro que ofereça o desempenho necessário.

A grande pergunta é: o Surface Phone vai ajudar a Microsoft a recuperar parceiros, e promover o ressurgimento do Windows para smartphones?

Via Windows Central