super mario run

 

Não existe almoço grátis, mas a geração internet já se acostumou a não pagar por nada.

Ao que tudo indica, muitos usuários ainda não sabiam que Super Mario Run não era gratuito, onde apenas os três primeiros níveis estavam liberados. E muita gente ficou desgostosa em ter que pagar para ter o jogo completo.

São várias as resenhas negativas por parte dos desinformados publicadas nos últimos dias. Não vamos aqui discutir se vale a pena ou não pagar para ter o jogo completo, mas sim o fato das pessoas reclamarem porque o jogo não é totalmente de graça.

Super Mario Run não tem publicidade integrada, ou seja, ele cobra para pagar o tempo de quem trabalhou nele. E o trabalho da Nintendo é criar videogames. Logo, o jogo tem uma demo, e depois a empresa cobra para ter o jogo completo.

O caso de se debater é se é ético ou não reclamar só porque não é de graça… menos, galera… bem menos!

Por outro lado, devemos ser críticos com a Nintendo, e mencionar que eles utilizaram a clássica técnica de tirar o doce da boca de todo mundo.

Ao mesmo tempo, pagar por um videogame móvel não é muito diferente do que pagar uma latinha de refrigerante no bar da esquina.

Todos os veículos divulgaram exaustivamente que o jogo seria cobrado há semanas.

Tem muito usuário desinformado por pura preguiça.

#prontofalei