A Netflix sofreu ontem (16) uma grande queda no valor de suas ações, depois de revelar que não conseguiu alcançar a nova meta de assinantes estimada para os EUA, ficando com 670 mil dos mais de 1.2 milhão esperados.

Também ficou abaixo dos números estimados no mercado internacional, onde a Netflix ficou a apenas meio milhão de assinantes da meta original, mas alcançando 4.7 milhões de novos usuários.

O mercado de streaming conseguiu acabar com os demais formatos de exibição de conteúdo atuais, com facilidades evidentes. Mas… então por que temos uma repentina ausência de assinantes?

Para começar, a Netflix modificou seus preços e modalidades de serviços, e ficou um serviço mais caro e menos vantajoso, o que deixou descontente a alguns usuários, que decidiram cancelar suas contas. Sem falar nos novos usuários em potencial, que deram um passo atrás diante do novo cenário.

Também leve em conta o aumento de ofertas e conteúdos de outros gigantes da mídia, em uma competição cada vez maior que antes a Netflix não enfrentava, onde ela se estabeleceu como líder indiscutível desde o primeiro momento.

HBO, Hulu, Amazon e futuramente a Disney são a pedra do sapato da Netflix, e todo esse grupo pode representar o aumento da tendência do streaming a longo prazo. Estamos cada vez mais longe do formato físico em todos os formatos de entretenimento (incluindo a música e os videogames), e este é um movimento sem volta.

E teremos um cenário bem promissor nos próximos anos nesse aspecto.